Placer y sufrimiento de trabajadores de enfermeria en una sala de emergencias

Pleasure and pain of nursing workers at a first aid service

Prazer e sofrimento de trabalhadores de enfermagem de um pronto-socorro

  • Jeanini Dalcol Miorin Enfermeira. Residente do Programa de Urgência e Emergência da Universidade Franciscana de Santa Maria. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Silviamar Camponogara Doutora em Enfermagem. Docente da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Camila Pinno Mestranda em Enfermagem no Programa de Pós Graduação em Enfermagem da UFSM. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Carmem Lúcia Colomé Beck Docente da UFSM. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Valdecir Costa Doutor em Educação Ambiental. Docente da UFSM. Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Etiane de Oliveira Freitas Doutoranda em Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSM. Santas Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
Palabras clave: Placer, Servicios médicos de urgencia
Key-words: Work, Nursing, Pleasure, Emergency medical services
Palavras chave: Trabalho, Enfermagem, Prazer, Serviços médicos de emergência

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1 Kessler AI, Krug, SBF. Do prazer ao sofrimento no trabalho da enfermagem: o discurso dos trabalhadores. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2012 [cited 2014 Dec 04]; 32(1):. Available form: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1983-14472012000100007&script=sci_arttext

2 Garcia AB, Dellaroza MSG, Gvozd R, Haddad, MCL. O sofrer no trabalho: sentimentos de técnicos de enfermagem do pronto-socorro de um hospital universitário. Ciên Cuid Saúde [Internet]. 2013 [cited 2015 Fev 01]; 12(3):. Available form: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/18056

3 Martins JT, Robazzi MLCC, Bobroff MCC. Prazer e sofrimento no trabalho da equipe de enfermagem: reflexão à luz da psicodinâmica dejouriana. Rev Esc Enferm USP. 2010 Dez; 44 (4):1107-11.

4 Almeida PJS, Pires DEP. O trabalho em emergência: entre o prazer e o sofrimento. Rev Eletr Enferm [Internet]. 2007 [cited 2015 Jan 15]; 9(3):. Available form: https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v9/n3/pdf/v9n3a05.pdf

5 Barbosa KP, Silva LMS, Fernandes MC, Torres RAM, Souza RS. Processo de trabalho em setor de emergência de hospital de grande porte: a visão de trabalhadores de enfermagem. Rev RENE [Internet]. 2009 [cited 2014 Oct 22]; 10(4):. Available form: http://www.revistarene.ufc.br/vol10n4_pdf/v10n4a08.pdf

6 Rosseti AC, Gaidzinski RR, Fugulin FMT. Nursing workload in the emergency department: a methodological proposal. Rev Latino-am Enfermagem [Internet]. 2013 [cited 2015 Jan 05]; 21(Spe):. Available form: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21nspe/pt_28.pdf

7 Dejours C. A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas; 1999.

8 Martins ACA, Oliveira G. Trabalho: fonte de prazer e sofrimento e as práticas orientais. IPES 2006; 12 (03): 229-41.

9 Fontanella BJB, Ricas J, Turato ER. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad Saúde Pública [Internet]. 2008 [cited 2014 Out 31]; 24 (1):. Available form: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ 311X2008000100003

10 Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14a ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

11 Ministério da Saúde (BR). Conselho nacional de saúde. Comitê Nacional de Ética em Pesquisa em Seres Humanos. Resolução nº 466 de 12 de dezembro de 2012: Diretrizes e normas regulamentadoras para pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: MS; 2013.

12 Garcia AB, Dallaroza MSG, Haddad MCL, Pachemshy LR. Prazer no trabalho de técnicos de enfermagem do pronto-socorro de um hospital universitário público. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2012 [cited 2015 Jan 22]; 33(2):. Available form: http://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/23021

13 Lima FB, Velasco AR, Lima ABG, Alves EA, Santos PSSR, Passos JP. Fatores de motivação no trabalho de enfermagem. Rev Pesqui Cuid Fundam [Internet]. 2013 [cited 2014 Dec 21]; 5(4):. Available form: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v39n1/a11v39n1.pdf

14 Mariano PP, Baldissera VDA, Martins JT, Carreira L. Nursing work organization in long-stay institutions for the elderly: relationship to pleasure and suffering at work. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2015 [cited 2015 Sep 21]; 24(3):. Available form: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-15005050014&lng=en

15 Lancman S, Sznelwar, LI, organizadores. Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. 3a ed. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2011.

16 Araujo MBS, Rocha PM. Trabalho em equipe: um desafio para a consolidação da Estratégia de saúde da família. Ciênc Saúde Coletiva [Internet] 2007 [cited 2014 Feb 15]; 12(2):. Available form: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141

17 Pagliari J, Collet N, Oliveira BRG, Vieira CS. Sofrimento psíquico da equipe de enfermagem na assistência à criança hospitalizada. Rev Eletrônica enferm [Internet]. 2008; 10(1): [cited 2014 Dez 03]. Available form: https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v10/n1/v10n1a06.htm

18 Avelino FVSD, Leite ARF, Fernandes MA, Avelino FPD, Madeira MZA, Souza LEN. Estresse em enfermeiros do setor de urgência e emergência. Rev Enferm UFPI [Internet]. 2013 [cited 2014 Oct 04]; 2(3):. Available form: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-

19 Ministério da Saúde (BR). Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Política Nacional de Humanização. A humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília (DF): MS; 2004.

20 Fontana RT. Humanização no processo de trabalho em enfermagem: uma reflexão. Rev RENE [Internet]. 2010 [cited 2015 Jan 22]; 11(1):. Available form: http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/view/364

21 Beck CLC. O sofrimento do trabalhador: da banalização à ressignificação ética na organização da enfermagem [tese]. Florianópolis (SC): Universiade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; 2001.

22 Reis CT, Martins M, Laguardia J. A segurança do paciente como dimensão da qualidade do cuidado de saúde: um olhar sobre a literatura. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2013 [cited 2015 Jan 25]; 18(7):. Available form: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232013000700018&script=sci_arttext

23 Papathanassoglou EDE, Karanikola MNK, Kalafati M, Giannakopoulou M, Lemonidou C, Albarran JW. Professional autonomy, collaboration with physicians, and moral distress among European intensive care nurses. Am J Crit Care. 2012; 21(2):41-53

24 Steflitsch W, Steiner D, Peinhaupt W, Riedler B, Smuc M, Diewald G. Health promotion through prevention of stress and burnout with essential oils for all preofessionals at the Otto Wagner Hospital in Vienna. Forsch Komplementmed. 2015; 22(3):185-94

25 Brems C. A Yoga stress redution intervention for university fculty, staff, and graduate students. Int J Yoga Therap. 2015; 25(1): 61-77.

26 Awada SB, Rezende WW. Serviços de emergência: problema de saúde pública. In: Awada SB, Damasceno MCT, Martins HS, editores. Pronto-socorro: condutas do hospital das clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. São Paulo: Manole, 2007. p. xlvii-xlix.

27 Dalmolin GL, Lunardi VL, Barlem ELD, Silveira RS. Implications of moral distress on nurses and its similarities with burnout. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2012 [cited 2015 Jan 16]; 12(1):. Available form: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-07072012000100023&script=sci_arttext

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Miorin, Jeanini Dalcol; Camponogara, Silviamar; Pinno, Camila; Beck, Carmem Lúcia Colomé; Costa, Valdecir; Freitas, Etiane de Oliveira. Placer y sufrimiento de trabajadores de enfermeria en una sala de emergencias. Texto & Contexto. 10 de julio de 2018; 27(2). Disponible en: http://ciberindex.com/c/tc/27207p [acceso: 20/07/2018]
Sección
Artículo Original
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: