Estratégia Salud de La Família en El Municipio de Rio de Janeiro: Evaluación de La Cobertura y de Hospitalizaciones por Condiciones Cardiovasculares

Family Health Strategy in the Municipality of Rio de Janeiro: Cardiovascular Conditions Coverage and Hospitalization Evaluation

Estratégia Saúde da Família no Município do Rio de Janeiro: Avaliação da Cobertura e Internações por Condições Cardiovasculares

  • Maria Helena Barcelos Pereira Hospital Federal do Servidor do Estado do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro, Brasil)
  • Aline do Amaral Zils Costa
  • Maria Helena do Nascimento Souza Escola de Enfermagem Anna Nery. Universidade Federal do Rio de Janeiro (EEAN/UFRJ) (Rio de Janeiro, Brasil)
  • Franciéle Marabotti Costa Leite Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) (Vitória, Espírito Santo, Brasil)
  • Ana Ines Sousa Escola de Enfermagem Anna Nery. Universidade Federal do Rio de Janeiro (EEAN/UFRJ) (Rio de Janeiro, Brasil)
Palavras chave: Hospitalización@, Atención primaria de salud@, Hospitalización, Atención primaria de salud, Enfermedades cardiovasculares

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção à Saúde. Série A. Normas e Manuais Técnicos Série Pactos pela Saúde 2006, v. 4. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. 60 p.
2. Trad LAB, Bastos ACS. O impacto sócio-cultural do Programa de Saúde da Família (PSF): uma proposta de avaliação. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro, abr/jun, 1998;14(2):429-435.
3. Ronzani TM. O psicólogo na Atenção Primária à Saúde: desafios, contribuições e redirecionamentos. Monografia de Especialização em Saúde Coletiva, Faculdade de Serviço Social, Universidade Federal de Juiz de Fora. 2000, 53p.
4. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Departamento de Descentralização da Gestão da Assistência. Regionalização da Assistência à Saúde: aprofundando a descentralização com equidade no acesso: Norma Operacional da Assistência à Saúde: NOAS-SUS 01/02 e Portaria MS/GM n.º 373, de 27 de fevereiro de 2002 e regulamentação complementar / Ministério da Saúde, Secretaria de Assistência à Saúde. Departamento de Descentralização da Gestão da Assistência. – 2. ed. revista e atualizada. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Brasília: Ministério da Saúde, 2002. 108 p
5. Brasil. Ministério da Saúde. Guia prático do Programa Saúde da Família. Brasília; 2001.
6. Brasil. Ministério da Saúde. Avaliação da Implementação do Programa Saúde da Família em dez grandes centros urbanos. Síntese dos principais resultados. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.
7. Brasil. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Legislação do SUS - Conselho Nacional de Secretários de Saúde. - Brasília: CONASS, 2003.
8. Alfradique ME, Bonolo PF, Dourado I, Lima-Costa MF, Macinko J, Mendonça CS et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP - Brasil). Cad. Saúde Pública. 2009 June;25(6):1337-1349
9. Nedel FB, Facchini LA, Martín M, Navarro A. Características da atenção básica associadas ao risco de internar por condições sensíveis à atenção primária: revisão sistemática da literatura. Epidemiol. Serv. Saúde. 2010 mar;19(1):61-75.
10. Shmidt MI, Duncan BB, Azevedo e Silva G, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, et al. Chronic non communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet 2011;377(9781):1949- 61.
11. Simão M, Nogueira MS, Hayashida M, Cesarino EJ. Doenças cardiovasculares: perfil de trabalhadores do sexo masculino de uma destilaria do interior paulista. Revista Eletrônica de Enfermagem. 2002;2(4):27-35.
12. Souza LL, Costa JSD. Internações por condi¬ções sensíveis à atenção primária nas coordenadorias de saúde no RS. Rev. Saúde Pública, São Paulo, 2011;45(4):765-772.
13. Senna MCM. Equidade e política de saúde: algumas reflexões sobre o Programa Saúde da Família. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 2002;18(sup):203-211
14. Machado CV, Lima LD, Viana LS. Configuração da atenção básica e do Programa Saúde da Família em grandes municípios do Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saúde Pública 2008;24(Suppl 1):42-57.
15. Macinko J, Starfield B, Shi L. The contribution of primary care systems to health outcomes within Organization for Economic Cooperation and Development (OECD) countries, 1970-1998. Health services research, 2013 Jun;38(3):831-865.
16 Oliveira MAC, Pereira IC. Atributos essenciais da Atenção Primária e a Estratégia Saúde da Família. Rev. bras. enferm. [Internet]. 2013 Sep [cited 2016 July 04];66(spe):158-164. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0034-71672013000700020&lng=en. http://dx.doi. org/10.1590/S0034-71672013000700020.
17. CAMPOS, Amanda Zandonadi de and THEME-FILHA, Mariza Miranda. Internações por condições sensíveis à atenção primária em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, 2000 a 2009. Cad. Saúde Pública [online]. 2012;28(5):845-855
18. Pazó RG, Frauches DO, Galvêas DP, Stefenoni AV, Cavalcante ELB, Pereira-Silva FH. Internações por condições sensíveis à atenção primária no Espírito Santo: estudo ecológico descritivo no período 2005-2009. Epidemiol. Serv. Saúde. 2012 Jun;21(2):275-282.
19. Azeka E, Jatene MB, Jatene IB, Horowitz ESK, Branco KC, Souza Neto JD et al. I Diretriz Brasileira de Insuficiência Cardíaca e Transplante Cardíaco, no Feto, na Criança e em Adultos com Cardiopatia Congênita, da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Arq Bras Cardiol 2014;103(6Supl.2):1-126
20. Boing AF, Vicenzi RB. Redução das internações por condições sensíveis à atenção primária no Brasil entre 1998-2009. Rev. Saúde Pública. 2012;46(2):359-66.
21. Mendes EV. As redes de atenção à saúde. 2. ed. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde/Conselho Nacional de Secretários de Saúde, 2011
22. Levin J. A Influência das Políticas de Saúde nos Indicadores Gerados pelo Sistema de Informações Hospitalares do SUS. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva). Programa de Pós- Graduação, Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Pereira, Maria Helena Barcelos; Costa, Aline do Amaral Zils; Souza, Maria Helena do Nascimento; Leite, Franciéle Marabotti Costa; Sousa, Ana Ines. Estratégia Salud de La Família en El Municipio de Rio de Janeiro: Evaluación de La Cobertura y de Hospitalizaciones por Condiciones Cardiovasculares. REVISTA DE PESQUISA: CUIDADO É FUNDAMENTAL. 24 de septiembre de 2018; 10(3). Disponible en: http://ciberindex.com/c/ps/p103605 [acceso: 18/10/2018]
Sección
Pesquisa
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: