Perfil sociodemográfico e clínico de idosos usuários crônicos de omeprazol na rede básica de saúde

Sociodemographic and clinical profile of the older adults chronic users of omeprazole in the basic health network

Perfil sociodemográfico y clínico de los ancianos usuarios crônicos de omeprazol em la red básica de salud

  • Camile Lorenz Graduada em Farmácia pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ)
  • Aline Schneider Graduada em Farmácia pela UNIJUÍ, Farmacêutica da Prefeitura Municipal de Ijuí
  • Karla Renata de Oliveira Graduada em Farmácia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Mestre em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Professora Assistente do Departamento de Ciências da Vida da UNIJUÍ
  • Christiane de Fátima Colet Graduada em Farmácia pela UNIJUÍ, Doutor em Ciências Farmacêuticas pela UFRGS, Professora Adjunta do Departamento de Ciências da Vida da UNIJUÍ
Palabras clave: Antiulceroso, Anciano, Omeprazol
Key-words: Antiulcer, Elderly, Omeprazole
Palavras chave: Antiulcerosos, Idosos, Omeprazol

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. ANDRADE MA, Silva VS, Freitas O. Assistência farmacêutica como estratégia para o uso racional de medicamentos em idosos. Semina Ciênc Biol Saúde. 2004;25(1):55-63.
2. KARNIKOWSKI MGO, Nóbrega OT, Naves JOS, Silver LD. Access to essential drugs in 11 Brazilian cities: a community based evaluation and actio method. J Public Health Policy. 2004;25(3-4):288-98.
3. HAYES BD, Klein-Schwartz W, Barrueto, F Jr. Polypharmacy and the geriatric patient. Clin Geriatr Med. 2007;23(2):371-90.
4. SAATKAMP JA, Vieira A, Manfredini V, Tavares G, Carpes P, Farias, F. Principais Classes Terapêuticas Utilizadas pelos Idosos do Programa de Extensão Ativa Idade. In Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, Open Journal System. 2011;3(3).
5. RANG HP, Dale MM, Ritter JM, Flower RJ, Henderson G. Farmacologia. 7ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Elsevier; 2012.
6. FLORES VB, Benvegnú LA. Perfil de utilização de medicamentos em idosos da zona urbana de Santa Rosa, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad de Saúde Públ. 2008;24(6):1439–1446.
7. BONOTTO LF, Colet CF. Farmácia Popular do Brasil em Ijuí: perfil dos usuários e redução de preços dos produtos Brazil. Rev Bras de Farm. 2013;94(1):41–48.
8. BRASIL. Formulário Terapêutico Nacional. Ministério da Saúde. 2ª ed. Brasília (DF), 2010.
9. YANG YX, Lewis JD, Epsteins S, Metz DC. Long-term próton pump inhibitor therapy and risk of hip fracture. Jama. 2006;24(296):2947-53.
10. HYUN JJ, Chun HJ, Keum B, Seo YS, Kim YS, Jeet YT et al. Effect of omeprazole on the expression of transcription factors in osteoclasts an osteoblasts. Int J Mol Med. 2010;6(26): 877-83.
11. FICK DM, Semla TP, Beizer J, Brandt N, Dombrowski R, DuBeau CE, Eisenberg W et al. American Geriatrics Society 2015 Updated Beers Criteria for Potentially Inappropriate Medication Use in Older Adults. J Am. Geriatr Soc. 2015;63(11):2227-46.
12. ANATOMICAL THERAPEUTIC CHEMICAL (ATC) [Internet]. World Health Organization. 2016 [citado em 2016 Nov 27]. Available at: http://www.whocc.no/atc_ddd_index/.
13. MICROMEDEX [Internet]. Greenwood Village, Colorado, USA; c1974-2012 [citado em 2016 Nov 27]. Available at: http://www. thomsonhc.com.
14. DRUG INFORMATION SYSTEM [Internet]. Online Drug Information System. 2016 [citado em 2016 Out 5]. Available at: http://druginfosys. com/.
15. DRUGBANK [Internet]. DrugBank Version 4.3. 2016 [citado em 2016 Out 5]. Available at: http://www.drugbank.ca/.
16. HIPÓLITO P, Rocha BS, Arsego, FJ, Oliveira Q. Perfil de usuários com prescrição de omeprazol em uma Unidade Básica de Saúde do Sul do Brasil: considerações sobre seu uso racional. Rio de Janeiro. Rev Bras Med Fam Comunidade.2016;11(38):1-10.
17. SCHROETER G, Chaves LL, Engroff P, Faggiani FT, Carli GA, Morrone FB. Estudo de utilização de anti-ulcerosos na população idosa de Porto Alegre, RS, Brasil. Rev HCPA. 2008;28(2):89-95.
18. LÓPEZ-DORIGA BP, Alvarez MN, Mansilla LS. Inhibidores de la bomba de protones: estudio de prescripción en una Unidad de Recuperación Funcional. Rev Esp Geriatr Gerontol. 2013;48(6):269-71.
19. MASCARENHAS GDM, Silva KO, Silva PA, Faria LA, Reis LA, Novaes MI. Adequação dos medicamentos utilizados por idosos participantes de um grupo de convivência, conforme os critérios de Beers. Rev Saúde Com. 2014;10(3):279-288.
20. CINTRA FA, Guariento ME, Miyasaki LA. Adesão medicamentosa em idosos em seguimento ambulatorial. Ciência e Saúde Coletiva. 2010;15(1):3507-15.
21. CUNHA PRMS, Branco DRC, Bernardes ACF, Aguiar MIF, Rolim ILTP, Linard AG. Prevalência e causas de não adesão ao tratamento anti-hipertensivo de idosos na atenção básica. Rev Pesq Saúde. 2012;13(3):11-6.
22. GONZÁLES DF. O tratamento de pacientes idosos com dislipidemia. Semergen. 2014;40(1):17-21.
23. DIAS NS, Santos PA, Pinto MV, Fernandes CKC, Gonçalves Júnior AF, Souza SAO et al. Análise de prontuários de pacientes com gastrite em um hospital na região do este II do estado de Goiás. Rev Facul Montes Belos. 2015;8(1):1-9.
24. BRAGA DC, Bortolini SM, Cassol M, Bordignon SCF. Sintomas dispépticos na atenção primária – perfil dos pacientes. Ged Gastroenterol Endosc Dig. 2013;32(3):66-69.
25. LIMA APV, Neto Filho MA. Efeitos em longo prazo de inibidores da bomba de prótons. Braz J Surg Clin Res. 2014;5(3):45-49.
26. CAETANO A, Felix VN, Coimbra FTV, Ganc AJ. Helicobacter pylori e doença péptica: estudo comparativo de métodos diagnósticos. Arq. Gastroenterol. São Paulo. 2008;45(3):255-257.
27. Delaney B, Ford AC, Forman D, Moayyedi P, Qume M. Initial management strategies for dyspepsia In: The Cochrane Library. 4ª ed. Oxford: Update Software, 2004.
28. MAIER CR, Abegg MA. Avaliação da utilização de antibióticos por profissionais de saúde e pela população na cidade de Toledo, Paraná, Brasil. Arq. Ciênc. Saúde Unipar. 2007;11(1):19-26.
29. Farmacopéia Brasileira [Internet]. 5ª ed. Brasília (DF): Anvisa, 2010 [acesso em 2016 nov 11]. Available at: http://www.anvisa.gov.br/ hotsite/cd_farmacopeia/index.htm.
30. MCEVOY GK. AHFS Drug Information. Bethesda: ASPH, 2014.
31. SILVA VL, Cozzolino SMF. Minerais e Terceira Idade. In: Cozzolino, S.M.F. Biodisponibilidade de micronutrientes. Manole. 2005.
32. CHEN J, Yuan YC, Leontiadis GI, Howden CW. Recent Safety Concerns With Proton Pump Inhibitors. J Clin Gastroenterol. 2012;46(2):93-114.
33. WILHELM SM, Rjater RG, Kale-Pradhan PB. Perils and pitfalls of long-term effects of proton pump inhibitors. Expert Rev Clin Pharmacol. 2013;6(4):443-51.
34. HASSAL E, Israel D, Shepherd R, Radke M, Dalvag A, Skold B et al. Omeprazole for treatment of chronic erosive esophagitis in children: a multicenter study of efficacy, safety, tolerability and dose requeriments. International Omeprazole Study Group. J Pediatr. 2000;137(6):800-7.
35. PASSARELLI MCG. Reações adversas a medicamentos em uma população idosa hospitalizada [tese]. São Paulo (SP): Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; 2005.
36. BRAGA MP, Silva CB, Adams AIH. Inibidores da bomba de prótons: revisão e análise farmacoterapêutica. Saúde (Santa Maria), Ahead of Print. 2011;37(2):19-32.
37. BLANSKI CRK, Lenardt MH. A compreensão da terapêutica medicamentosa pelo idoso. Rev Gaúc Enf. 2005;26(2):180-188.
38. Sordi F. Estudo descritivo sobre o uso de medicamentos na rede pública municipal de saúde de Serafina Corrêa/RS [Dissertação]. Porto Alegre (RS): Curso de Especialização em Gestão em Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2015.
39. GUERRA AA, Assis Acúrcio F, Gomes CAP, Miralles M, Werneck GAF, Carvalho CL. Disponibilidade de medicamentos essenciais em duas regiões de Minas Gerais, Brasil. Rev Panam Salud Publ. 2004;15(3):168-175.
40. SECOLI SR. Polifarmácia: interações e reações adversas no uso de medicamentos por idosos. Rev Bras Enferm. 2010;63(1):136-40.
41. NASSUR BA, Braun V, Devens LT, Morelato RL. Avaliação dos medicamentos inapropriados utilizados por idosos admitidos em hospital geral filantrópico. Rev Soc Bras Clin Med. 2010;8(3):208-11.
42. LUCCHETTI G, Granero AL, Pires SL, Garzoni ML. Fatores associados à polifarmácia em idosos institucionalizados. Rev Bras. Geriat. Gerontol.2010;13(1):51-58.
43. GAUTÉRIO DP, Santos SSC, Pelzer MT, Barros EJ, Baumgarten L. Caracterização dos idosos usuários de medicação residentes em instituição de longa permanência. Rev Esc Enf USP. 2012;46(6):1-7.
44. GUIMARÃES E SILVA DC, Pereira ML, Soares DB, Loyola-Filho AI, Nascimento MMG. Uso de medicamentos potencialmente inapropriados entre idosos em um hospital geral brasileiro. Infarma Cienc Farmac. 2016;28(1):27-32.
45. VIEIRA LB, Cassiani SHB. Avaliação da adesão medicamentosa de pacientes idosos hipertensos em uso de polifarmácia. Rev Bras Cardiol. 2014;27(3):195-202.
46. RIBEIRO NP, Mascarenhas R Mascarenhas MA, Gutierrez LLP. Polifarmácia utilizada por idosos residentes em instituições de longa permanência do município de Viamão/RS. Ciên Movim. 2013;30(1):65-74.
47. PEZALLA E, Day D, Pulliadath I. Initial assessment of clinical impact of a drug interaction between clopidogrel and proton pump inhibitors. J Am Coll Cardiol. 2008;52(12):1038-9.
48. LAU WC, Gurbel PA. The drug-drug interaction between proton pump inhibitors and clopidogrel. CMAJ. 2009;180(2):699-700.
49. YIN OQ, Tomlinson B, Waye MM, Chow AH, Chow MS. Pharmacogenetics and herb-drug interactions: experience with Ginkgo biloba and omeprazole. Pharmacogenetics, 2004;14(12): 841-850.
50. LABAUNE JP. Farmacocinética. 1ª ed. São Paulo: Andrei, 1993.
51. Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial [Internet]. 2010. [acesso em 2016 nov 27]. Available at: http://departamentos.cardiol.br/dha/ publicacoes/ivdiretriz/.
52. PINHEIRO LC. Omeprazol atenua os efeitos anti-hipertensivos do nitrito de sódio em ratos [tese]. Campinas (SP) Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas; 2011.
53. RODRIGUEs IKC. Diabetes mellitus: aspectos clínicos, farmacológicos e o papel da atenção farmacêutica ao paciente hospitalizado [monografia]. Recife (PE): Faculdade Santa Emília Centro de Consultoria Educacional;2012.
54. MORAL G, Barroso VA, Garcia LJ, Santana GC. Ancianos frágiles polimedicados: és la deprescripción de medicamentos una salida? [Internet] Rev Esp Geriatr Gerontol;2012.[acesso em 2016 dez 01]. Available at: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/ S0211139X12000601

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Lorenz, Camile; Schneider, Aline; Oliveira, Karla Renata de; Colet, Christiane de Fátima. Perfil sociodemográfico y clínico de los ancianos usuarios crônicos de omeprazol em la red básica de salud. Revista De Pesquisa: Cuidado é Fundamental. 2019; 11(4): 900-7. Disponible en: http://ciberindex.com/c/ps/P900907 [acceso: 17/07/2019]
Sección
Pesquisa
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: