Percepción del usuario con la enfermedad vascular sobre la educación en salud como instrumento de autonomía

The perceptions of vascular dysfunction bearing patients with regards to health education as an autonomy instrument

Percepção do usuário com alteração vascular sobre a educação em saúde como instrumento de autonomia

  • Sofia Hardman Côrtes Quintela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (Santa Maria, Brasil)
  • Pâmela Guimarães Siqueira Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (Santa Maria, Brasil)
  • Fabianne Banderó Höffling Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (Santa Maria, Brasil)
  • Bruna Hirano Imbriani Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (Santa Maria, Brasil)
  • Marta de Vargas Romero Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (Santa Maria, Brasil)
  • Rosângela Marion da Silva Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) (Santa Maria, Brasil)
Palabras clave: Educación en salud, Autonomía personal, Enfermedades vasculares, Grupo de atención al paciente, Atención ambulatoria
Key-words: Health education, Personal autonomy, Vascular diseases, Patient care team, Ambulatory care
Palavras chave: Educação em saúde, Autonomia pessoal, Doenças vasculares, Equipe de assistência ao paciente, Assistência ambulatorial

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. Silva FM, Budó MLD, Girardon-Perlini NMO, Garcia RP, Sehnem GD, Silva DC da. Contribuições de grupos de educação em saúde para o saber de pessoas com hipertensão. Rev Bras Enferm [Internet]. 2014 mai/jun [citado em 12 dez 2016]; 67(3):347- 53. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0034-71672014000300347
2. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: PNPS: revisão da Portaria MS/GM nº 687, de 30 de março de 2006. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.
3. Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União (Brasília). 1990 20 set. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm
4. Oliveira DLLC de. A enfermagem e suas apostas no autocuidado: investimentos emancipatórios ou práticas de sujeição? Rev Bras Enferm [Internet]. 2011 jan-fev [citado em 12 dez 2016]; 64(1): 186-8. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0034-71672011000100027
5. Janini JP, Bessler D, Vargas AB. Educação em saúde e promoção da saúde: impacto na qualidade de vida do idoso. Saúde debate [Internet]. 2015 abr/jun [citado em 12 dez 2016]; 39(105):480-90. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v39n105/0103-1104- sdeb-39-105-00480.pdf
6. Pereira JC, Barreto SM, Passos VMA. Perfil de risco cardiovascular e autoavaliação da saúde no Brasil: estudo de base populacional. Rev Panam Salud Publica [Internet]. 2009 jun [citado em 12 dez 2016]; 25(6):491-8. Disponível em: http://www.scielosp.org/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S1020-49892009000600004
7. Danieli LC. Fonoaudiologia Preventiva [monografia de especialização]. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Fonoaudiologia; 2006.
8. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14. ed. São Paulo: Hucitec, 2014.
9. Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética e Pesquisa CONEP. Resolução nº 466/12 sobre pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília: MS, 2012.
10. Nery VAS. Contribuições das práticas educativas para a qualidade de vida de pessoas com hipertensão arterial [dissertação]. Jequié: Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Departamento de saúde, Programa de pós-graduação em enfermagem e saúde; 2012 [citado em 02 jan 2017]. Disponível em: http://www.uesb.br/ppgenfsaude/ dissertacoes/turma3/VALERIA%20ALVES%20DA%20SILVA%20 NERY.pdf
11. Schimith MD, Simon BS, Brêtas ACP, Budó MLD. Relações entre profissionais de saúde e usuários durante as práticas em saúde. Trab educ saúde [Internet]. 2011 nov [citado em 05 jan 2017]; 9(3):479-503. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v9n3/v9n3a08.pdf
12. Figueiredo MFS, Rodrigues JF Neto, Leite MTS. Modelos aplicados às atividades de educação em saúde. Rev Bras Enferm. 2010 jan/fev [citado em 02 jan 2016); 63(1): 117-21. Disponível em: http://www. scielo.br/pdf/reben/v63n1/v63n1a19.pdf
13. Freire P. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
14. Brasil. Fundação Nacional de Saúde. Diretrizes de educação em saúde visando à promoção da saúde: documento base - documento I. 2. ed. Brasília, 2007.
15. Dutra DD, Duarte MCS, Albuquerque KF de, Lima AS de, Santos JS, Souto HC. Doenças cardiovasculares e doenças associados em adultos e idosos cadastrados em uma unidade básica de saúde. Rev pesq cuid fundam (Online) [Internet]. 2016 abr [citado em 06 jan 2017]; 8(2):4501-09. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/ cuidadofundamental/article/view/4787/pdf_1906
16. Oliveira LC de, Ávila MMM, Gomes AMA, Sampaio MHLM. Participação popular nas ações de educação em saúde: desafios para os profissionais da atenção primária. Interface comum saúde educ. (Online) [Internet]. 2014 [citado em 07 jan 2017]; 18(Suppl 2):1389- 400. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/icse/v18s2/1807- 5762-icse-18-s2-1389.pdf
17. Ferretti AG, Gris A, Mattiello DPA, Teo CRPA, Sá C. Impacto de programa de educação em saúde no conhecimento de idosos sobre doenças cardiovasculares. Rev salud pública [Internet]. 2014 dez [citado em 08 jan 2017]; 16(6):807-820. Disponível em: http://www.scielosp. org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0124-00642014000600001
18. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.
19. Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2012 [citado em 07 jan 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ cuidado_condicoes_atencao_primaria_saude.pdf
20. Salci MA, Maceno P, Rozza SG, Silva DMGV, Boehs AE, Heidemann ITSB. Educação em saúde e suas perspectivas teóricas: algumas reflexões. Texto & contexto enferm [Internet]. 2013 jan/mar [citado em 08 jan 2017]; 22(1):224-30. Disponível em: http://www.scielo.br/ pdf/tce/v22n1/pt_27
21. Silva FM, Budó MLD, Garcia RP, Sehnem GD, Schimith MD. Práticas de vida de portadores de hipertensão arterial. Rev enferm UERJ [Internet]. 2013 jan/mar [citado em 08 jan 2017]; 21(1); 54-9. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v21n1/v21n1a09.pdf

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Quintela, Sofia Hardman Côrtes; Siqueira, Pâmela Guimarães; Höffling, Fabianne Banderó; Imbriani, Bruna Hirano; Romero, Marta de Vargas; Silva, Rosângela Marion da. Percepción del usuario con la enfermedad vascular sobre la educación en salud como instrumento de autonomía. Revista De Pesquisa: Cuidado é Fundamental. 2019; 11(1): 25-0. Disponible en: http://ciberindex.com/c/ps/P111025 [acceso: 20/02/2019]
Sección
Pesquisa
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: