Percepção de crianças hospitalizadas acerca do tratamento oncológico

The viewpoint of hospitalized children with regards to oncological treatment

La percepción de los niños hospitalizados sobre el tratamiento del cáncer

  • Suellen Cristina Dias Emidio Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) (Pernambuco, Brasil)
  • Ramon José Leal de Morais Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) (Pernambuco, Brasil)
  • Priscylla Nunes de Macedo Oliveira Fundação de Ensino Superior de Olinda (FUNESO) (Olinda, Brasil)
  • Rosyaline da Silva Bezerra Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) (Pernambuco, Brasil)
Palabras clave: Hospitalización, Niños hospitalizados, Oncología
Key-words: Hospitalization, Hospitalized children, Oncology
Palavras chave: Hospitalização, Criança hospitalizada, Oncologia

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. Santos AD, Pitta GBB. Acesso vascular para quimioterapia. In: Pitta GBB, Castro AA, Burihan E. Angiologia e cirurgia vascular: guia ilustrado. Maceió: UNCISAL/ECMAL & LAVA, 2003.
2. INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (INCA). Particularidades do câncer infantil. Disponível em: <http://www.inca.gov.br/conteudo_ view.asp?id=343>. Acesso em: fev. 2014.
3. Oliveira I, et al. A criança com câncer no hospital. In: Figueiredo NMA, et al, organizadores. Enfermagem oncológica: conceitos e práticas. 1ª ed. São Caetano do Sul (SP): Yendis; 2009.
4. Malagutti W. Oncologia pediátrica: uma abordagem multiprofissional. São Paulo (SP): Martinari; 2011.
5. LIMA RAG, et al. Assistência à criança com câncer: alguns elementos para a análise do processo de trabalho. Rev Esc Enf USP. 1996; 30 (1):14-24.
6. Carvalho GP, Leone LPD, Brunetto AL. O cuidado de enfermagem em oncologia pediátrica. Rev Soc Bra Can. 2005; 3(10).
7. Alvarez CRE. O significado do cuidado para a criança hospitalizada [dissertação]. São Paulo (SP): Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, 2002.
8. Bezerra RS. Percepção de crianças sobre os cuidados recebidos das profissionais de enfermagem em unidade oncológica [dissertação]. Salvador (BA): Escola de Enfermagem, Universidade Federal da Bahia, 2013.
9. Motta AB, Enumo SRF. Câncer infantil: uma proposta de avaliação as estratégias de enfrentamento da hospitalização. Est de psico. 2004; 21(3):193-202.
10. Rocha EAC. Por que ouvir as crianças? Algumas questões para um debate científico multidisciplinar. In: Cruz SHV. A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo (SP): Cortez; 2008: 43-51.
11. Leopardi MT. Metodologia da pesquisa na saúde. 2ª ed. Florianópolis (SC): UFSC; 2002.
12. Minayo MCS (organizadores). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis (RF): Vozes; 1993.
13. Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Normas de pesquisa envolvendo seres humanos. Resolução CNS 196/96. Bioética, 1996.
14. Piaget J. O nascimento da inteligência na criança. 4ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Zahar; 1980.
15. Polit DF, Hungler BP. Fundamentos de pesquisa em enfermagem. 5ª ed. Porto Alegre (RS): Artmed; 2004.
16. Bardin, L. Análise de conteúdo. Lisboa (PT): Edições 70; 2009.
17. Motta AB, Enumo SRF. Brincar no hospital: câncer infantil e avaliação do enfrentamento da hospitalização. Psico Saúde Doenças; 2002, 3(1):23-41.
18. Kovács MJ. Morte e desenvolvimento humano. São Paulo (SP): Casa do Psicólogo, 1992.
19. Torres WC. A criança diante da morte: desafios. 2ª ed. São Paulo (SP): Casa do Psicólogo, 2002.
20. Cardoso FT. Câncer infantil: aspectos emocionais e atuação do psicólogo. Rev Soc Bra Psi Hosp; 2007, 10(1): 25-52.
21. Ribeiro CA, Coutinho RM, Araujo TF, Souza VS. Vivenciando um mundo de procedimentos e preocupações: experiência da criança com Port-a-Cath. Act Paul Enf. 2009, 22: 935-941.
22. Dias CG. A dor do câncer infantil: a percepção de quem a vive [dissertação]. Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, 2000.
23. Barros L. As consequências psicológicas da hospitalização infantil: prevenção e controle. Ana Psi. 1998, 1(16): 1-28.
24. Almeida F M, Sabatés AL. Enfermagem pediátrica: a criança, o adolescente e sua família. São Paulo (SP): Manole, 2008.
25. Gomes GC, Erdmann AL. O cuidado compartilhado entre a família e a enfermagem à criança no hospital: uma perspectiva para a sua humanização. Rev Gaú Enf. 2005, 26(1): 20-30.
26. Veríssimo MDLR, Sigaud CHS. O processo de cuidar centrado na criança. In: Veríssimo MDLR, Sigaud CHS, organizadores. Enfermagem pediátrica: o cuidado de enfermagem à criança e ao adolescente. São Paulo (SP): EPU, 1996.
27. Gonzaga MLC, Arruda EN. Fontes e significados de cuidar e não cuidar em hospital pediátrico. Rev Lat-Ame Enf. 1998, 6(5):17-26.
28. Mistura C, et al. A experiência em acompanhar um membro da família internado por câncer. Cuid0 fund [online]. 2014. 6(1):47-61
29. Pimenta EAG, Collet N. Dimensão cuidadora da enfermagem e da família na assistência à criança hospitalizada: concepções da enfermagem. Rev Esc Enf USP. 2009, 43(3): 622-629.
30. Hockenberry MJ, Wilson D. Wong Fundamentos de enfermagem pediátrica. 8ª. ed. Rio de Janeiro (RJ): Ensevier, 2011.
31. Paiva MB, Souza CAC, Soares E. Fatores que interferem na preservação do sono e repouso de crianças em terapia intensiva. Esc Anna Nery Rev Enf. 2006, 10(1):29-35.
32. Caram ALA, Franciosi KTB. A importância da nutrição no desenvolvimento da criana e do adolescente. In: Carvalho SD. O enfermeiro e o cuidar multidisciplinar na saúde da criança e do adolescente. São Paulo (SP): Editora Atheneu, 2012: 89-98.
33. Moscatello E, Ferreira G. Assistência de enfermagem à criança e ao adolescente durante a quimioterapia. In: Malagutti W. Oncologia pediátrica: uma abordagem multiprofissional. São Paulo (SP): Martinari, 2011:103-112.
34. Freire MCB, Petrill AS, Sonsogno MC. Humanização em oncologia pediátrica: novas perspectivas na assistência ao tratamento do câncer infantil. Rev Ped Mod. 2007, 43(05):225-236.
35. Ferreira EC, Ribeiro MMF, Leal SS. Praticando a relação médico-paciente III: efeito terapêutico da consulta. Clínica médica: relação médico-paciente. Rio de Janeiro (RJ): MEDSI Editora Médica e Científica, 2002.
36. Silva MJP. Comunicação tem remédio: a comunicação nas relações interpessoais em saúde. 6ª. ed. São Paulo (SP): Edições Loyola, 2008. 
37. Ribeiro CA, Borba RIH. Preparo da criança e do adolescente para procedimentos hospitalares. In: Almeida FM, Sabatés AL. Enfermagem pediátrica: a criança, o adolescente e sua família. São Paulo (SP): Manole, 2008.
38. Cicogna EC, Nascimento LC, Lima RAG. Crianças e adolescentes com câncer: experiências com a quimioterapia. Rev Lat-Ame Enf. 2010;18(5):09-13.
39. Melo LL, Valle ERM. A Brinquedoteca como possibilidade para desvelar o cotidiano da criança com câncer em tratamento ambulatorial. Rev Esc Enf USP [online]. 2010, 44(2):517-525

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Emidio, Suellen Cristina Dias; Morais, Ramon José Leal de; Oliveira, Priscylla Nunes de Macedo; Bezerra, Rosyaline da Silva. La percepción de los niños hospitalizados sobre el tratamiento del cáncer. Revista De Pesquisa: Cuidado é Fundamental. 2018; 10(4): 1141-9. Disponible en: http://ciberindex.com/c/ps/P1041141 [acceso: 18/07/2019]
Sección
Pesquisa
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: