La Visión Enfermeras Para la Aplicación de Escala en Braden Paciente Anciano

The Nurses’ Viewpoint Regarding the Use of The Braden Scale With The Elderly Patient

A Visão de Enfermeiros Quanto a Aplicação da Escala de Braden no Paciente Idoso

  • Raquel Debon Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (Rio Grande do Sul, Brasil)
  • Vera Lucia Fortunato Fortes Universidade de Passo Fundo (Rio Grande do Sul, Brasil)
  • Ana Claudia Roman Rós Universidade de Passo Fundo (Rio Grande do Sul, Brasil)
  • Maira Scaratti Universidade do Estado de Santa Catarina (Santa Catarina, Brasil)
Palabras clave: Atención de enfermería

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. Borges EL, Fernandes FP. Manual de Prevenção de Lesões de Pele: Recomendações baseadas em evidências. 2 ed. Rio de Janeiro: Rubio; 2014.
2. U.S. National Library Of Medicine. National Institutes of Health. AA Braden Scale Source Information; 2011. Acesso em: 04 abr 2016.
3. National Pressure Ulcer Advisory Panel and European Pressure Ulcer Advisory Panel. Prevention and treatment of pressure ulcers: clinical practice guideline. Washington: National Pressure Ulcer Advisory Panel; 2016.
4. National Pressure Ulcer Advisory Panel and European Pressure Ulcer Advisory Panel. Prevention and treatment of pressure ulcers: clinical practice guideline. Washington: National Pressure Ulcer Advisory Panel; 2009.
5. Costa IG, Caliri MHL. Incidência e fatores de risco relacionados à úlcera de pressão em Centro de Terapia Intensiva de um Hospital Universitário. Rev Paul Enferm; 2004.
6. Santos I, Silva LD, Sousa CA. Aplicando recomendações da escala de Braden e prevenindo as úlceras por pressão: evidências do cuidar em enfermagem. Rev Bras Enferm; 2006.
7. Glaser G, Strauss A. The discovery of grounded theory: strategies for qualitative research. New York: Aldine de Gruyter; 1967.
8. Lincoln CL. A entrevista não estruturada como forma de conversação: razões e sugestões para sua análise. Rev. Adm. Publica; 2005. V.39.N.4. p:823-847, jul.ago.
9. Brasil. Resolução nº 466, de 12 dez 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponível em:< http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/ Reso466.pdf>. Acesso em: 12 out 2016.
10. Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde .7. ed. São Paulo: ABRASCO; 2002.
11. Rycroft M, Mcinness JE. Pressure ulcer risk assessment and prevention. Technical Report.RCN: London; 2010.
12. Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 529/gm de 1 de Abril de 2013. Programa Nacional de Segurança do Paciente. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.
13. Goulart FM , Ferreira JA, Santos KAA, Morais VM , Freitas GAF. Prevenção de úlcera por pressão em pacientes acamados: uma revisão da literatura. Faculdade Objetivo, Rio Verde; 2008. p. 1-14. Disponível em: http://www.faculdadeobjetivo.com.br. Acesso em: 12 out. 2016.
14. Serpa LF, Santos VLCG, Campanili TCGF, Queiroz M. Validade preventiva da Escala de Braden para o risco de desenvolvimento de úlcera por pressão em pacientes críticos. Rev. Latino-Am de Enfermagem; 2011. v.19, n.1 Disponível em: Acesso em: 15 Out 2016.
15. Simão CMF. Úlcera por pressão em unidades de terapia intensiva e conformidade das ações de enfermagem. 134 f. [Dissertação Mestrado em Enfermagem], Universidade de São Paulo – Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto; 2010. p. 20-4.
16. Rogenski NMB, Kurcgant P. Incidência de úlceras por pressão após a implementação de um protocolo de prevenção. Rev latinoam enferm [serial on the internet]. 2012 [cited 2013 Aug 6]; 20(2):1-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v20n2/pt_16.
17. Campolina AG, Adami F, Santos JLF, Lebrão ML. A transição de saúde e as mudanças na expectativa de vida saudável da população idosa: possíveis impactos da prevenção de doenças crônicas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro; 2013. v.29, n.6, p.1217-29
18. Rocha ABL, Barros SMO de. Avaliação de risco de úlcera por pressão: propriedades de medida da versão em português da escala de Waterlow. Acta Paul Enferm, v. 20, n. 2; 2007.
19. Fernandes LM. Úlceras de pressão em pacientes críticos hospitalizados. Uma revisão integrativa da literatura [dissertação]. Ribeirão Preto (SP): Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP; 2010.
20. Silva PLN ,Ruas PR, Soares LM, Rocha GG. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires; 2014. Ano 18: p.188.
21. D’Arco C, Sassarine SW, Costa MLM, Silva LMG. Úlcera de Pressão em UTI. In: Knobel E. Condutas no Paciente Grave. 3 ed. São Paulo: Atheneu; 2006. V. 2. p. 2491-501.
22. Stein EA, Santos JLG, Pestana AL, Guerra ST, Prochnow AG, Erdmann AL. Ações dos enfermeiros na gerência do cuidado para prevenção de úlceras por pressão em unidade de terapia intensiva. R Pesq Cuid Fundam; 2012;4(3):2605-12.
23. Rangel EML, Caliri MHL. Uso das diretrizes para tratamento da úlcera por pressão por enfermeiros de um hospital geral. Rev Eletrônica Enferm; 2009. 11(1):70-7.
24. Coêlho ADA, Lopes MVO , Melo RP, Castro ME. O idoso e a úlcera por pressão em serviço de atendimento domiciliar, Rev Rene; 2012. 13(3):639-49.
25. Costa AL. O papel do colchão magnético na formação da úlcera de pressão. IX Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e V Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba; 2006. [Acesso 20 Nov 2016] Disponível em http:// www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2005/epg/EPG4/EPG4-66%20 ok.pdf.
26. Minami LF , Santos PT , Ferrari CRS, Ciampone MHT, Messas JT, Mira VL. Avaliação do treinamento “Prevenção e tratamento de Úlcera por Pressão” ministrado à equipe de enfermagem; Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2012 jul/sep;14(3):663-70. Disponível em: http:// www.fen.ufg.br/revista/v14/n3/v14n3a24.htm.
27. Ministério da Saúde (BR), Instituto Nacional de Câncer – INCA. Tratamento e controle de feridas tumorais e úlceras por pressão no câncer avançado. Série – Cuidados Paliativos. Rio de Janeiro (RJ); 2009. [acesso 12 Nov 2016]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov. br/bvs/publicacoes/inca/Feridas_Tumorais.p
28. Nishio EA, Franco MTG. Modelo de Gestão em enfermagem: qualidade assistencial e segurança do paciente. Rio de Janeiro: Elsevier; 2011

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Debon, Raquel; Fortes, Vera Lucia Fortunato; Rós, Ana Claudia Roman; Scaratti, Maira. La Visión Enfermeras Para la Aplicación de Escala en Braden Paciente Anciano. REVISTA DE PESQUISA: CUIDADO É FUNDAMENTAL. 27 de septiembre de 2018; 10(3). Disponible en: http://ciberindex.com/c/ps/P103817 [acceso: 15/10/2018]
Sección
Pesquisa
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: