Estresse gerencial: análise de conceito na perspectiva evolucionária de Rodgers

Management stress: concept analysis in Rodgers’ evolutionary perspective

Estrés gerencial: análisis de concepto en la perspectiva evolutiva de Rodgers

  • Victor Lucas de Melo Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (Natal, Rio Grande do Norte, Brasil)
  • Rayane Saraiva Felix Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (Natal, Rio Grande do Norte, Brasil)
  • Nayara de Souza Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (Natal, Rio Grande do Norte, Brasil)
  • Camila Matias Nascimento Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (Natal, Rio Grande do Norte, Brasil)
  • Larissa Kelly Silva de Moura Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (Natal, Rio Grande do Norte, Brasil)
  • Pétala Tuani Candido de Oliveira Salvador Escola de Saúde. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (Natal, Rio Grande do Norte, Brasil)
Palabras clave: Estrés psicológico, Estrés fisiológico, Agotamiento profesional, Administración de servicios de salud, Gestión de la salud
Key-words: Psychological stress, Physiological stress, Professional exhaustion, Administration of health services, Health management
Palavras chave: Estresse psicológico, Estresse fisiológico, Esgotamento profissional, Administração de serviços de saúde, Gestão em saúde

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. Fonseca JRF, Neto DL. Níveis de estresse ocupacional e atividades estressoras em enfermeiros de unidades de emergência. Rev RENE. 2014; 15(5):732-42.
2. Selye H. Stress e tensão. 2ª ed. São Paulo (SP): IBRASA; 1965.
3. Balassiano M, Tavares E, Pimenta RC. Estresse ocupacional na administração pública brasileira: quais os fatores impactantes? Rev RAP. 2011; 45(3):751-74.
4. Cooper CL, Marshall J. Occupational sources of stress: a review of the literature relating to coronary heart disease and mental ill health. J Occup Health Psychol. 1976; 49(1):11-28.
5. Goulart JRE, Lipp MEN. Estilo de liderança e estresse: uma pesquisa em escolas estaduais de ensino fundamental. RBPAE. 2011; 27(2):153-360.
6. Oliveira RJ, Cunha T. Estresse do profissional de saúde no ambiente de trabalho: causas e consequências. Caderno Saúde e Desenvolvimento. 2014; 3(2):78-93.
7. Rodgers BL. Concept Analysis: an evolutionary. In: Rodgers BL, Knafl KA (Eds.). Concept developmente in nursing. 2ª ed. Philadelphia: Saunders; 2000.
8. Poles K, Bousso RS. Morte digna da criança: análise de conceito. Rev Esc Enferm USP. 2009; 43(1):215-22.
9. Camargo BV, Justo AM. Tutorial para uso do software de análise textual IRAMUTEQ. Laboratório de Psicologia Social da Comunicação e Cognição (LACCOS) [Internet]. Santa Catarina; 2013 [acesso em 2018 Fev 22]. Disponível em: http://www.iramuteq. org/documentation/fichiers/tutoriel-en-portugais.
10. Salvador PTCO, Bezerril MS, Mariz CMS, Fernandes MID, Martins JCA, Santos VEP. Objeto e ambiente virtual de aprendizagem: análise de conceito na perspectiva evolucionária de Rodgers. Rev Bras Enferm. 2017; 70(3):599-606.
11. Ministério da Educação [BR]. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG) 2011-2020. Brasília (DF); 2010
12. Lima RS. Instrumentos utilizados para avaliar o estresse ocupacional de gestores: scoping review [monografia]. Natal (RN): Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2017.
13. Centro Universitário Unihorizontes. Cursos [Internet]. Belo Horizonte; 2018 [acesso em 2018 Fev 22]. Disponível em: http:// www.unihorizontes.br/fnh/.
14. Ministério da Educação [BR]. Avaliação da CAPES aponta crescimento da pós-graduação brasileira [Internet]. Brasilia (DF): Fundação CAPES; 2017 [acesso em 2018 Fev 22]. Disponível em: http://www.capes.gov.br/sala-de-imprensa/noticias/8558-avaliacaoda- capes-aponta-crescimento-da-pos-graduacao-brasileira.
15. Moraes AFM. Estresse ocupacional: um olhar sobre o trabalho da mulher gestora do polo industrial de Manaus [dissertação]. Belo Horizonte (MG): Universidade Federal de Minas Gerais; 2014.
16. Rossi AM. Estressores ocupacionais e diferenças de gênero. São Paulo (SP): Atlas; 2010.
17. Santos AQ. Estresse ocupacional: estudo realizado com gestores docentes de Unidades Acadêmicas da área da Saúde de uma Instituição Federal de Ensino situada no estado de Minas Gerais [dissertação]. Belo Horizonte (MG): Faculdade Novos Horizontes; 2015.
18. Guimarães ALCO. O estresse ocupacional do gestor escolar: um estudo nas escolas municipais do cabula/salvador – Bahia [dissertação]. Salvador (BA): Universidade Do Estado da Bahia; 2013.
19. Pego ZO. Estresse ocupacional: estudo com gestores de uma instituição de ensino público federal do Estado de Minas Gerais [dissertação]. Belo Horizonte (MG): Faculdade Novos Horizontes; 2015.
20. Lipp MEN, Rocha JC. Stress, qualidade de vida e hipertensão arterial. 2ª ed. Campinas (SP): Papirus; 1996.
21. Paschoal T, Tamayo A. Impacto dos Valores Laborais e da Interferência Família – Trabalho no Estresse Ocupacional. Psic.: Teor. e Pesq. 2005; 21(2):173-80.
22. Canova QR, Porto JB. O impacto dos valores organizacionais no estresse ocupacional: um estudo com professores de ensino médio. Rev Adm Mackenzie. 2010; 11(5):4-31.
23. Pereira LZ, Zille GP. O estresse no trabalho: uma análise teórica de seus conceitos e suas inter-relações. Rev GES. 2010; 4(7):414-34.
24. Limongi-França AC, Rodrigues AL. Stress e trabalho: uma abordagem psicossomática. 3ª ed. São Paulo (SP): Atlas; 2002.
25. Amaral MA, Souza FR, Brandão RKS, Tiola FPS, Ferreira LB. Estresse Ocupacional: Um Estudo das Relações de Trabalho do Centro Municipal de Saúde de Iúna/ES. In Anais do Simpósio de Excelência de Gestão e Tecnologia; 2013 out; Resende (RJ); 2013. p. 1-16.
26. Maffia LN. Estresse ocupacional em gestores: estudo nas secretarias de estado de Minas Gerais [dissertação]. Belo Horizonte (MG): Universidade Federal de Minas Gerais; 2013.
27. Leite Júnior, JAP. Estresse, estratégias de enfrentamento e qualidade de vida no ambiente de trabalho: um estudo em um instituto de pesquisas [dissertação]. São José dos Campos (SP): 2009.
28. Zagonel IPS. Análise de conceito: um exercício intelectual em enfermagem. Cogitare Enfer. 1996; 1(1):10-4.
29. Folkman S, Lazarus RS, Dunkel-Schetter C, Delongis A, Gruen RJ. Dynamics of a stressful encounter: cognitive appraisal, coping, and encounter outcomes. JPSP. 1986; 50(5):992-1003.
30. Zautra AJ, Wrabetz AB. Coping success and its relatioship to psychological distress for older adults. JPSP. 1991; 61(5):801-10.
31. Parkes KR. Personality and coping as moderator of work stress process: Models, methods and measures. J Work & Stress. 1994; 88(2):110-29.
32. Terry DJ. Determinants of coping: the role of stable and situational factors. JPSP. 1994; 66(5):895-910.
33. Latack JC, Havlovic AJ. Coping with job stress: a conceptual evaluation framework for coping measures. JOB. 1992; 13(5):479-508.
34. Tamayo MR, Troccoli BT. Exaustão emocional: relações com a percepção de suporte organizacional e com as estratégias de coping no trabalho. Estud Psicol. 2002; 7(1):37-46

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Silva, Victor Lucas de Melo; Felix, Rayane Saraiva; Souza, Nayara de; Nascimento, Camila Matias; Moura, Larissa Kelly Silva de; Salvador, Pétala Tuani Candido de Oliveira. Estrés gerencial: análisis de concepto en la perspectiva evolutiva de Rodgers. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental. 2021; 13: 94-02. Disponible en: http://ciberindex.com/c/ps/P094102 [acceso: 12/04/2021]
Sección
Pesquisa
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: