Participação do pai jovem no acompanhamento do pré-natal: a visão do profissional de saúde

The young father involvement in the prenatal care: the perspectiveof healh professional

Participación del padre joven en el seguimiento del prenatal: el punto de vista del profesional de salud

  • Melissa Gomes de Mello Athlone Institute of Technology (Athlone, Irlanda)
  • Thais Cordeiro Parauta Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) (Rio de Janeiro, Brasil)
  • Bruna Lopes Saldanha Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) (Rio de Janeiro, Brasil)
  • Adriana Lemos Departamento de Enfermagem. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) (Rio de Janeiro, Brasil)
Palabras clave: Paternidad, Adolescente, Atención prenatal, Personal de salud
Key-words: Paternity, Adolescent, Prenatal care, Health personnel
Palavras chave: Paternidade, Adolescente, Cuidado pré-natal, Pessoal de saúde

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. Brasil. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o estatuto da criança e do adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 16 jul. 1990.
2. Spindola T, Ribeiro KS, Fonte VRF. A vivência da gravidez na adolescência: contribuições para a enfermagem obstétrica. Adolesc. Saude. Rio de Janeiro, v.12, n.1, p.50-6, jan/mar 2015. Disponível em:<http://www.adolescenciaesaude.com/detalhe_artigo. asp?id=474>. Acesso em: 20 de julho de 2018.
3. Brasil. Marco teórico e referencial: saúde sexual e saúde reprodutiva de adolescentes e jovens. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.
4. Corrêa ACL, Meincke SMK, Schwartz E, Oliveira AMN, Soares MC, Jardim VMR. Percepções de homens sobre a vivência da paternidade na adolescência: uma perspectiva bioecológica. Rev Gaúcha Enferm. v. 37 n. 1. mar. 2016. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/54692/37069>. Acesso em: 18 de julho de 2018.
5. Ribeiro JP, Giovana CG, Bárbara TS, Leticia SC, Priscila AS, Ivanete SSS.Participação do pai na gestação, parto e puerpério: refletindo as interfaces da assistência de enfermagem. Revista espaço para a saúde. Londrina.v.16. n.3 . p.73-82.jul/set. 2015. Disponível em: <http://develoeys.com/index.php/espacosaude/article/viewFile/398/386>. Acesso em: 20 de julho de 2018.
6. Moreira MCN, Gomes R, Ribeiro CR. E agora o homem vem?! Estratégias de atenção à saúde dos homens. Cad. Saúde Pública. v.32. n.4. 2016.
7. Gomes R, Albernaz L, Ribeiro CRS, Moreira MCN, Nascimento M. Linhas de cuidados masculinos voltados para a saúde sexual, a reprodução e a paternidade. Ciência & Saúde Coletiva. v. 21, n. 5, p.1545–52, 2016.
8. Promundo. MEN CARE. A GLOBAL FATHERHOOD CAMPANIGN. A situação da paternidade no mundo: resumo e recomendações. PROMUNDO. Rio de Janeiro, 2015.
9. Zampieri MFM, Gregório VRP, Custódio ZAO, Regis MI, Brasil C.O significado de ser pai na ótica de casais grávidos: limitações e facilidades. RevEletrEnf [periódico na Internet] 2012. Disponível em: <https://www.fen.ufg.br/revista/v14/n3/pdf/v14n3a04.pdf>. Acesso em: 20de julho de 2018.
10. Brasil. Saúde sexual e saúde reprodutiva. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2010.
11. Rio de Janeiro. Unidade de Saúde Parceira do Pai. Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil. 1. ed. Rio de Janeiro, ago. 2009.
12. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 1.459, DE 24 DE JUNHO DE 2011. Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - a Rede Cegonha. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.
13. Brasil. LEI N. 13.257, DE 8 DE MARÇO DE 2016. Dispõe sobre as políticas públicas para a primeira infância e altera a Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente), o Decreto- Lei no 3.689, de 3 de outubro de 1941 (Código de Processo Penal), a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, a Lei no11.770, de 9 de setembro de 2008, e a Lei no 12.662, de 5 de junho de 2012. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 8 mar. 2016.
14. Brasil. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. Brasília: Ministério da Saúde; 2008.
15. Sa-silva JR, Almeida CD, Guindani JF. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Rev. Bras. de Hist. e Cienc. Soc. ano 1, n.1, s/l, jul. 2009.
16. Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011
17. Costa MMA, Frare JC, Nobre JRS, Tavares KO. A Maternidade e a Paternidade: o olhar do casal adolescente. Rev. Bras. em Promoção em Saúde, vol.27(1) Fortaleza, jan.mar,2014. p.101-8. Disponível: <http://periodicos. unifor.br/RBPS/article/view/2465/pdf>. Acesso em: 20 de julho de 2018.
18. Vasconcelos ACS, Monteiro RJS, Facundes VLD, Trajano MFC, Gontijo DT. Eu virei homem!: a construção das masculinidades para adolescentes participantes de um projeto de promoção de saúde sexual e reprodutiva. Saude soc. N.25. v.1. 2016. p.186-97.
19. VEIGA, M.B., 2014. A Paternidade na visão de jovens pais, na perspectiva de gênero. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - Programa de pós-graduação em enfermagem. Rio de Janeiro. Brasil.
20. Ministério da Saúde. Pré-natal e Puerpério: atenção qualificada e humanizada - manual técnico. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. - Brasília: Ministério da Saúde, 2005

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Gomes de Mello, Melissa; Parauta, Thais Cordeiro; Saldanha, Bruna Lopes; Lemos, Adriana. Participación del padre joven en el seguimiento del prenatal: el punto de vista del profesional de salud. Revista De Pesquisa: Cuidado é Fundamental. 2020; 12(1): 94-9. Disponible en: http://ciberindex.com/c/ps/P094099 [acceso: 30/03/2020]
Sección
Pesquisa
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: