Percursos de mulheres submetidas à cesariana no setor público de atenção à saúde

Routes of women submitted to cesariana in the public health care sector

Percursos de mujeres submetidas a la cesariana en el sector público de atención a la salud

  • Sarah Dias Silva Marinha do Brasil (Rio de Janeiro, Brasil)
  • Andreza Rodrigues Nakano Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) (Rio de Janeiro, Brasil)
  • Cláudia Bonan Instituto Fernandes Figueira. Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) (Rio de Janeiro, Brasil)
Palabras clave: Cesárea, Parto, Sistema único de salud
Key-words: Cesarean section, Parturition, Unified health system
Palavras chave: Cesárea, Parto, Sistema único de saúde

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. Ministério da Saúde (BR), Departamento de Informática do SUS (Datasus). Informações de saúde, demográficas e socioeconômicas [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; [citado em 2017 out 15]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br
2. Leal MC, Pereira APE, Domingues RMSM, Filha MMT, Dias MAB, Pereira MN, et al. Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Cad Saude Publica [Internet]. 2014 [citado em 2015 out 15];30 Supl 1:S17-32. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v30s1/0102-311X-csp-30-s1-0017.pdf
3. World Health Organization. Statement on Caesarean Section Rates [Internet]. [place unknown]; [cited 2015 Nov 18]. Available from: http://www.who.int/reproductivehealth/publications/maternal perinatal_ health/cs-statement/en/
4. Ministério da Saúde (BR), Agência Nacional de Saúde Suplementar. Portal da Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; [citado em 2017 out 15]. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br/ images/pdf/2015/janeiro/06/ApresentaPARTO-06-01-15.pdf
5. Nakano, AR. Uso de tecnologias e as transformações nas práticas sociais de parto e de nascimento no Brasil: uma normalização da cesárea? [tese]. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, Pós-graduação em Saúde da Mulher e da Criança; 2015.
6. Cardoso JE, Barbosa RHS. O desencontro entre desejo e realidade: a “indústria” da cesariana entre mulheres de camadas médias no Rio de Janeiro, Brasil. Physis [Internet]. 2012 [citado em 2015 nov 15];22(1):35-52. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/physis/ v22n1/v22n1a03.pdf
7. Nakano AR, Bonan C, Teixeira LA. A normalização da cesárea como modo de nascer: cultura material do parto em maternidades no Sudeste do Brasil. Physis [Internet]. 2015 [citado em 2015 dez 10]; 25(3):885-904. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/physis/ v25n3/0103-7331-physis-25-03-00885.pdf
8. Domingues RMSM, Dias MAB, Pereira MN, Torres JA, d’Orsi E, Pereira APE, et al. Processo de decisão pelo tipo de parto no Brasil: da preferência inicial das mulheres à via de parto final. Cad Saude Publica [Internet]. 2014 [citado em 2016 fev 15];30 Supl 1:S101-16. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v30s1/0102-311X-csp-30-s1-0101.pdf
9. Mandarino NR, Chein MBC, Júnior FCM, Brito LMO, Lamy ZC, Nina VJS, et al. Aspectos relacionados à escolha do tipo de parto: um estudo comparativo entre uma maternidade pública e outra privada em São Luís, Maranhão, Brasil. Cad Saude Publica [Internet]. 2009 [citado em 2016 fev 15];25(7):1587-96. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v25n7/17.pdf
10. Pereira RR, Franco SC, Baldin N. Representações sociais e decisões das gestantes sobre a parturição: protagonismo das mulheres. Saude Soc [Internet]. 2011 [citado em 2016 fev 15];20(3):579-89. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v20n3/05.pdf
11. Ferrari J. Preferência pela via de parto nas parturientes atendidas em hospital público na cidade de Porto Velho, Rondônia. Rev Bras Saude Matern Infant [Internet]. 2010 [citado em 2016 fev 20];10 Supl 2:S409-17. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbsmi/v10s2/20.pdf
12. Gama AS, Giffin KM, Angulo-Tuesta A, Barbosa GP, d’Orsi E. Representações e experiências das mulheres sobre a assistência ao parto vaginal e cesárea em maternidades pública e privada. Cad Saude Publica [Internet]. 2009 [citado em 2016 fev 20];25(11):2480-88. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v25n11/17.pdf
13. Rabelo M, Alves PCB, Souza IMA. Experiência de doença e narrativa [Internet]. Rio de Janeiro: Fiocruz; 1999 [citado em 2016 mar 20]. Disponível em: https://static.scielo.org/scielobooks/pz254/pdf/rabelo-9788575412664.pdf
14. Lopes TC, Souza KV, Pinheiro R, Viana DL, Fiorini HF. Itinerários de gestantes de risco habitual que tiveram seus filhos em um Centro de Parto Normal: implicações para a integralidade do cuidado na rede de atenção ao parto e nascimento de um município. In: Gerhardt TE, Pinheiro R, Ruiz ENF, Junior AGS. Itinerários terapêuticos: integralidade no cuidado, avaliação e formação em saúde. 1ª ed. Rio de Janeiro: CEPESC; 2016. p. 327-341.
15. Pires D, Fertonani HP, Conill EM, Matos TA, Cordova FP, Mazur CS. A influência da assistência profissional em saúde na escolha do tipo de parto: um olhar socioantropológico na saúde suplementar brasileira. Rev Bras Saúde Matern Infant [Internet]. 2010 [citado em 2016 mai 15];10(2):191-97. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbsmi/v10n2/a06v10n2.pdf
16. Xavier RB, Bonan C, Silva KS, Nakano AR. Itinerários de cuidados à saúde de mulheres com história de síndromes hipertensivas na gestação. Interface [Internet]. 2015 [citado em 2016 mai 15];19(55):1109-20. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/ v19n55/1807-5762-icse-1807-576220140112.pdf
17. Queiroz MIP. Relatos orais: do “indizível” ao “dizível”. In: Von Simson OM. Experimentos com histórias de vida: Itália-Brasil. São Paulo: Vértice; 1988. p. 14-43.
18. Minayo MCS, Deslandes SF, Gomes R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 25ª ed. Petrópolis: Vozes; 2007.
19. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2012 [citado em 2016 jul 20]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ cadernos_atencao_basica_32_prenatal.pdf
20. BRASIL. Portaria n.1459, de 24 de junho de 2011. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS – a Rede Cegonha. Diário Oficial da União, Poder Executivo. Disponível em: http://bvsms.saude.gov. br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt1459_24_06_2011.html
21. Viellas EF, Domingues RMSM, Dias MAB, Gama SGN, Filha MMT, Costa JV, et al. Assistência pré-natal no Brasil. Cad Saude Publica [Internet]. 2014 [citado em 2016 jul 20];30 Supl 1:S85-100. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v30s1/0102-311X-csp- 30-s1-0085.pdf
22. Domingues RMSM, Hartz ZMA, Dias MAB, Leal MC. Avaliação da adequação da assistência pré-natal na rede SUS do Município do Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saude Publica [Internet]. 2012 [citado em 2016 jul 20];28(3):425-437. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ csp/v28n3/03.pdf
23. Chazan LK, Faro LFT. “Exame bento” ou “foto do bebê”? Biomedicalização e estratificação nos usos do ultrassom obstétrico no Rio de Janeiro. Hist Cienc Saude Manguinhos [Internet]. 2016 [citado em 2017 jul 12];23(1):57-77. Disponível em: http://www. scielo.br/pdf/hcsm/v23n1/0104-5970-hcsm-23-1-0057.pdf
24. Zambrano E, Barizon JB, Luchesi LB, Santos CB, Gomes FA. Cesárea: percepções da puérpera frente à escolha do tipo de parto. R Enferm UERJ [Internet]. 2003 [citado em 2016 set 15];11(2):177-81. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v11n2/v11n2a09.pdf
25. Melo JKF, Davim RMB, Silva RAR. Vantagens e desvantagens do parto normal e cesariano: opinião de puérperas. Rev pesqui cuid fundam [Internet]. 2015 [citado em 2016 set 15];7(4):3197- 205. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/ cuidadofundamental/article/view/3635/pdf_1694
26. Pimenta LF, Silva SC, Barreto CN, Ressel LB. A cultura interferindo no desejo sobre o tipo de parto. Rev pesqui cuid fundam [Internet]. 2014 [citado em 2016 set 15];6(3):987-97. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/ view/3165/pdf_1347
27. Tedesco RP, Filho NLM, Mathias L, Benez AL, Castro VCL, Bourroul GM, et al. Fatores determinantes para as expectativas de primigestas acerca da via de parto. Rev Bras Ginecol Obstet [Internet]. 2004 [citado em 2016 set 20];26(10):791-98. Disponível em: http://www. scielo.br/pdf/rbgo/v26n10/22906.pdf
28. Amaral RFC, Souza T, Melo TAP, Ramos FRS. Itinerário terapêutico no cuidado mãe-filho: interfaces entre a cultura e biomedicina. Revista Rene [Internet]. 2012 [citado em 2016 out 15];13(1)85-93. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/download/3774/2985
29. Bezerra MGA, Cardoso MVLML. Fatores culturais que interferem nas experiências das mulheres durante o trabalho de parto e parto. Rev Latino-am Enfermagem [Internet]. 2006 [citado em 2016 out 15];14(3):414-21. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/ v14n3/v14n3a16.pdf
30. Riscado LC, Janotti CB, Barbosa RHS. A decisão pela vi de parto no Brasil: temas e tendências na produção da saúde coletiva. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2016 [citado em 2016 dez 10];25(1):1- 10. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v25n1/0104-0707- tce-25-01-3570014.pdf
31. Oliveira MIC, Dias MAB, Cunha CB, Leal MC. Qualidade da assistência ao trabalho de parto pelo Sistema Único de Saúde, Rio de Janeiro (RJ), 1999-2001. Rev Saude Publica [Internet]. 2008 [citado em 2016 dez 10];42(5):895-902. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v42n5/6234.pdf
32. Giaxa TEP. Falso trabalho de parto: compreendendo os motivos da procura precoce à maternidade através da fenomenologia social [dissertação]. Botucatu: Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”, Faculdade de Medicina de Botucatu; 2009. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/96454/ giaxa_tep_me_botfm.pdf?sequence=1&isAllowed=y
33. McCallum C, Reis AP. Users’ and providers’ perspectives on technological procedures for ‘normal’ childbirth in a public maternity hospital in Salvador , Brazil. Salud Pública de México [Internet]. 2008 [citado em 2016 dez 10];50(1):40-8. Disponível em: https://repositorio. ufba.br/ri/bitstream/ri/3392/1/4-users.pdf
34. BRASIL. Lei n. 9263, de 12 de janeiro de 1996. Regula o § 7º do art. 226 da Constituição Federal, que trata do planejamento familiar, estabelece penalidades e dá outras providências. Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos. Disponível em: http:// www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9263.htm
35. Oliveira RR, Melo EC, Novaes ES, Ferracioli PLRV, Mathias TAF. Fatores associados ao parto cesárea nos sistemas público e privado de atenção à saúde. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2016 [citado em 2017 abr 20];50(5):734-41. Disponível em: http://www. scielo.br/pdf/reeusp/v50n5/pt_0080-6234-reeusp-50-05-0734.pdf
36. Pádua KS, Osis MJD, Faúndes A, Barbosa AH, Filho OBM. Fatores associados à realização de cesariana em hospitais brasileiros. Rev Saude Publica [Internet]. 2010 [citado em 2017 abr 20];44(1):70-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v44n1/08.pdf
37. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS. Diretrizes de Atenção à Gestante: a operação cesariana [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2016 [citado em 2017 abr 20]. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Consultas/ Relatorios/2015/Relatorio_PCDTCesariana_CP.pdf

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Silva, Sarah Dias; Nakano, Andreza Rodrigues; Bonan, Cláudia. Percursos de mujeres submetidas a la cesariana en el sector público de atención a la salud. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental. 2021; 13: 08-6. Disponible en: http://ciberindex.com/c/ps/P008016 [acceso: 12/04/2021]
Sección
Pesquisa
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: