Violência obstétrica na perspectiva de puérperas de um hospital da Serra Gaúcha

Obstetric violence in the perspective of puerperal women at a hospital in the Serra Gaúcha

Violencia obstétrica desde la perspectiva de las madres en un hospital de Serra Gaucha

  • Jéssica Reolon Centro Universitário da Serra Gaúcha (FSG) (Caxias do Sul, RS, Brasil)
  • Eveline Franco da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Faculdade Unyleya (Porto Alegre, RS, Brasil)
Palabras clave: Violencia, Enfermería obstétrica, Salud de la mujer
Key-words: Violence, Obstetrical nursing, Health of the women
Palavras chave: Violência, Enfermagem obstétrica, Saúde da mulher

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. Sena LM, Tesser CD. Violência obstétrica no Brasil e o ciberativismo de mulheres mães: relato de duas experiências. Interface: comunicação em saúde. 2017; 21(60):209-20.
2. Ministério da Saúde (Brasil). Blog da Saúde. Você sabe o que é violência obstétrica? [Internet]. 2017. Brasília. Disponí-vel em: <http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53079-voce-sabe-o-que-e-violencia-obstetrica> [acesso: 10.07.2019].
3. Franca BSS, Figueiredo JD, Barboza JM, Souza DC, Zapponi ALB. Violência institucional obstétrica no ambiente hospi-talar. Revista Rede de Cuidados em Saúde [Internet]. 2014; 8(2):1-4. Disponível em: <http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/rcs/article/view/2368/1149> [acesso: 10.07.2019].
4. Almeida OSC, Gama ER, Bahiana PM. Humanização do parto: a atuação dos enfermeiros. Revista Enfermagem Contem-porânea [Internet]. 2015; 4(1):79-90. Disponível em: <https://www5.bahiana.edu.br/index.php/enfermagem/article/download/456/437> [acesso: 10.07.2019].
5. Coelho NR, Vergara LM. Teoria de Paterson e Zderad: aplicabilidade humanística no parto normal. Cogitare Enferma-gem. 2015; 20(4):829-36. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/40323> [acesso em: 10.07.2019].
6. Tesser C, Knobel R, Andrezzo H, Diniz S. Violência obstétrica e prevenção quaternária: o que é e o que fazer. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade [Internet]. 2015;10(35): 1-12. Disponível em: <https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/1013> [acesso: 10.07.2019].
7. Silva EF, Dias S, Lorenzini E. Influências na escolha pelo tipo de parto: perspectiva de gestantes. Evidentia. 2016; 13(53). Disponível em: <http://www.index-f.com/ciberindex.php?l=0&url=/evidentia/n53/ev10242.php [acesso em: 10.07.2019]> [acesso 10.07.2019].
8. Turato ER. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão com-parada e aplicação nas áreas da saúde e humanas. 5ª ed. Petrópolis: Vozes; 2011.
9. Bardin L. Análise de conteúdo. 5ª ed. Lisboa: Edições 70; 2009.
10. Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisa em Seres Humanos (Resolu-ção 466/2012). Diário Oficial da União, 13 jun. 2013. Disponível em: <http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf> [acesso: 10.07.2019].
11. Presidência da República (Brasil). Lei n. 11.108 de abril de 2005. Altera a Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, para garantir às parturientes o direito à presença de acompanhante durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. 2005. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11108.htm>. [acesso: 10.07.2019].
12. World Health Organization (WHO). Recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. Geneva: World Health Organization; 2018.
13. Andrade PON, Silva JQP, Diniz CMM, Caminha MFC. Fatores associados à violência obstétrica na assistência ao parto vaginal em uma maternidade de alta complexidade em Recife, Pernambuco. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. [Internet]. 2016;16(1):29-37. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1519-38292016000100029&script=sci_abstract&tlng=pt> [acesso: 10.07.2019].
14. Costa ML, Pinheiro NM, Santos LF, Costa SAA, Fernandes AMG. Episiotomia no parto normal: incidência e compli-cações. Revista Cultural e Científica do UNIFACEX [Internet]. 2015; 13(1): 173-87. Disponível em: <https://periodicos.unifacex.com.br/Revista/article/view/655> [acesso: 10.07.2019].
15. Gomes ARM, Pontes DS, Pereira CCA, Brasil AOM, Moraes LCA. Assistência de enfermagem obstétrica na humani-zação do parto normal. Revista Recien [Internet]. 2014; 4(11):23-7. Disponível em: <https://www.recien.com.br/index.php/Recien/article/view/73> [acesso: 10.07.2019].
16. Carneiro LMA, Paixão GPN, Sena CD, Souza AR, Silva RS, Pereira A. Parto natural x parto cirúrgico: percepções de mulheres que vivenciaram os dois momentos. Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro [Internet]. 2015; 5(2):1574-85. Disponível em: <http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/744> [acesso 10.07.2019].
17. Peréz BAG, Oliveira EV, Lago MS. Percepções de puérperas vítimas de violência institucional durante o trabalho de parto e parto: revisão integrativa. Revista Enfermagem Contemporânea [Internet]. 2015; 4(1):66-77. Disponível em: <https://www5.bahiana.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/472/436>. [acesso: 10.07.2019].
18. Rocha FAA, Fontanele FMC, Carvalho IR, Rodrigues IDCV, Sousa RA, Ferreira Júnior AR. Cuidado no parto e nasci-mento: percepções de puérperas. Revista Rene [Internet]. 2014; 15(4):720-8. Disponível em: <http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/2857/2220> [acesso: 10.07.2019].
19. Ataide MM, Santos AAP, Silva JMO, Sanches METL. Exame obstétrico realizado pela enfermeira: da teoria à prática. Enfermagem em Foco. 2016; 7(2):67-71.
20. Diniz SG, Salgado HO, Andrezzo HFA, Carvalho PGC, Carvalho PCA, Aguiar CA, et al. Violência obstétrica como ques-tão para a saúde pública no Brasil: origens, definições, tipologia, impactos sobre a saúde materna, e propostas para sua prevenção. Journal of Human Growth and Development. 2015; 25(3), 377-384.
21. Carvalho IS, Costa Junior PB, Macedo JBPO, Araújo RDT. Acompanhantes no processo de nascimento: benefícios re-conhecidos pelos enfermeiros. J Health Sci Inst [Internet]. 2013; 31(2): 166-71. Disponível em: <https://www.unip.br/presencial/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2013/02_abr-jun/V31_n2_2013_p166a171.pdf> [acesso: 10.07.2019].

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Reolon, Jéssica; da Silva, Eveline Franco. Violencia obstétrica desde la perspectiva de las madres en un hospital de Serra Gaucha. Evidentia. 2019; 16. Disponible en: http://ciberindex.com/c/ev/e12532 [acceso: 01/10/2020]
Sección
Originales
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: