Enfermagem e a segurança no aprazamento das prescrições medicamentosas

Nursing and safety in drug scheduling of drug prescriptions

Enfermería y seguridad en la programación de la prescripción de medicamentos

  • Sabine De Mello Fagundes Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgico, Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil
  • Ariane Da Silva Pires Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgico, Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil
  • Flávia Giron Camerini Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgico, Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil
  • Helena Ferraz Gomes Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgico, Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil
  • Priscila Cristina Da Silva Thiengo Departamento de Enfermagem Médico Cirúrgico, Faculdade de Enfermagem, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil
Palabras clave: Enfermería, Interacciones de medicamentos, Cuidados de enfermería
Key-words: Nursing, Interactions of medications, Nursing care
Palavras chave: Enfermagem, Interações de medicamentos, Cuidados de enfermagem

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo. Ementa: Competência para aprazamento da prescrição médica. Parecer No 036, de 15 de maio de 2013. Disponível em http://portal.coren-sp.gov.br/sites/default/files/parecer_coren_sp_2013_36.pdf [acesso: 23/10/2017].
2. Dopico da Silva, Lolita; Corrêa de Matos, Guacira; Gomes Barreto, Belchior; Campos de Albuquerque, Denilson. Aprazamento de medicamentos por enfermeiros em prescrições de hospital sentinela. Revista Texto e contexto - enfermagem. 2013; 22(3): 722-730. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000300019 [acesso: 11/10/2016].
3. Fábio Lessa Leão, Danyllo; Soares de Moura, Cristiano; Souto de Medeiros, Danielle. Avaliação de interações medicamentosas potenciais em prescrições da atenção primária de Vitória da Conquista (BA), Brasil. Revista Ciência & Saúde Coletiva 2014; 19(1):311-318. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n1/1413-8123-csc-19-01-00311.pdf [acesso: 24/10/2017].
4. Emanuela Fontenele Lima de Carvalho, Rhanna; Max Moreira Reis, Adriano; Márcia Pereira de Faria, Leila; Santana de Azevedo Zago, Karine; Helena De Bortoli Cassiani, Silvia. Prevalência de interações medicamentosas em unidades de terapia intensiva no Brasil. Revista Acta Paulista de Enfermagem 2013; 26(2):150-7. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ape/v26n2/v26n2a08.pdf [acesso: 23/10/2017].
5. Mombaque dos Santos, Wendel; Regina Secoli, Silvia; Maris de Mello Padoin, Stela. Potenciais interações de drogas em pacientes de terapia antirretroviral. Revista Latino-Americana de Enfermagem. 2016; 24(1):e2832. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rlae/v24/pt_0104-1169-rlae-24-02832.pdf [acesso: 03/12/2017].
6. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências. RDC nº36. Publicado em 25 de julho de 2013. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2013/rdc0036_25_07_2013.html [acesso: 03/09/2016].
7. Meneses Oliveira, Roberta; Maria Tigre de Arruda Leitão, Ilse; Maria Sales da Silva, Lucilane; Vieira Figueiredo, Sarah; Lopes Sampaio, Renata; Monteiro Gondim, Marcela. Estratégias para promover segurança do paciente: da identificação dos riscos às práticas baseadas em evidências. Revista da Escola de Enfermagem Anna Nery. 2014; 18(1):122-129. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ean/v18n1/1414-8145-ean-18-01-0122.pdf [acesso: 06/12/2017].
8. Max Moreira Reis, Adriano; Emanuela Fontenele Lima de Carvalho, Rhanna; Marcia Pereira de Faria, Leila; Célia de Oliveira, Regina; Santana de Azevedo Zago, Karine; Ferreira Cavelagna, Milena; et al . Prevalência e significância clínica de interações fármaco-nutrição enteral em Unidades de Terapia Intensiva. Revista Brasileira de Enfermagem. 2014; 67(1): 85-90. Disponível em http://dx.doi.org/10.5935/0034-7167.20140011 [acesso: 03/09/ 2016].
9. System.ThomsonHealthcare.Greenwood Village. Manual de instrução DRUG-REAX®. Disponível em http://www.micromedexsolutions-com.ez27.periodicos.capes.gov.br/micromedex2/librarian. [Acesso: 05/10/2016].
10. Fraga de Carvalho, Márglory. Potenciais interações medicamentosas com dano grave e sua relação com o aprazamento estabelecido por enfermeiros. [Dissertação de mestrado em Enfermagem] Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.
11. Balera Ferreira Pinto, Natália; Batista Vieira, Liliana; Maria Vieira Pereira, Fernanda; Max Moreira Reis, Adriano; Helena De Bortoli Cassiani, Silvia. Interações medicamentosas em prescrições de idosos hipertesos: prevalência e significância clínica. Revista de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. 2014; 22(6):735-41. Disponível em http://www.facenf.uerj.br/v22n6/v22n6a02.pdf [acesso: 27/10/2017].
12. Katsung, Bertram; Masters , Susan; Trevor, Anthony. Farmacologia Básica e Clínica. Editora Mc Graw Hill, 2013 (12a. ed).
13. de Macêdo Martins, Josiane; Pires de Figueiredo, Tácita; Coelho Costa, Soraya; Max Moreira Reis, Adriano. Medicamentos que podem induzir prolongamento do intervalo QT utilizados por idosos em domicílio. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada. 2015; 36(2): 297-305. Disponível em http://seer.fcfar.unesp.br/rcfba/index.php/rcfba/article/view/245/149 [acesso: 02/05/2017].
14. Neris Cedraz, Karoline; Coelho dos Santos Junior, Manoelito. Identificação e caracterização de interações medicamentosas em prescrições médicas da unidade de terapia intensiva de um hospital público da cidade de Feira de Santana, BA. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica. 2014; 12 (2): 1-9. Disponível em http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2014/v12n2/a4178 [acesso: 02/05/ 2017].
15. Toshiaki Toda Nishimura, André; Domingues Pereira, André; Egídio Rinaldi, Antônio; Garnier Khalil, Sabrina; Ferreira Pinto Krohling, Diogo. Comparação de custo da enoxaparina e dos novos anticoagulantes orais dabigatran e rivaroxaban na profilaxia do tromboembolismo venoso. Revista Brasileira de Cirurgia Plástica. 2013; 28(3):451-4. Disponível em file:///C:/Users/Win%208/Downloads/v28n3a19%20(1).pdf [acesso: 31/10/2017].
16. Helena da Silva Gimenes, Ana; Maria Ferreira Baroni, Márcia; Juliani Nascimento Rodrigues, Paula. Interações Medicamentosas Potenciais e munida de terapia intensiva adulto de um hospital público estadual, São Paulo. Revista Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde. 2014; 5 (4):19-24. Disponível em http://www.sbrafh.org.br/rbfhss/public/artigos/2014050404000607BR.pdf [acesso: 05/11/2017].
17. Teixeira Molina, Flávia; Zanusso Júnior, Gerson. Anticoagulantes cumarínicos: ações, riscos e monitoramento da terapêutica. Revista de Saúde e Biologia. 2014; 9(2):75-82. Disponível em http://revista.grupointegrado.br/revista/index.php/sabios2/article/view/1263/599 [acesso: 05/11/2017].
18. Soares Correa, Bárbara; et al. Avaliação da Função Renal e Alterações Morfológicas em Ratos Tratados com Dipirona em Diferentes Doses. Journal of Health Sciences 2016; 18(1): 28-32. Disponível em http://pgsskroton.com.br/seer/index.php/JHealthSci/article/view/3512/3104 [acesso: 02/05/2017].

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
De Mello Fagundes, Sabine; Da Silva Pires, Ariane; Giron Camerini, Flávia; Ferraz Gomes, Helena; Da Silva Thiengo, Priscila Cristina. Enfermería y seguridad en la programación de la prescripción de medicamentos. Evidentia. 2018; 15. Disponible en: http://ciberindex.com/c/ev/e11870 [acceso: 24/08/2019]
Sección
Originales
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: