Indicadores de morbidade e caracterização epidemiológica da tuberculose em Imperatriz-Ma, Brasil

Morbidity indicators and epidemiological characterization of tuberculosis in Imperatriz-MA, Brazil

Indicadores de morbilidad y caracterización epidemiológica de la tuberculosis en Imperatriz-MA, Brasil

  • Janiel Conceição da Silva Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia (CCSST), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) (Imperatriz, MA, Brasil)
  • Paula dos Santos Brito Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia (CCSST), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) (Imperatriz, MA, Brasil)
  • Daianne Santos de Souza Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia (CCSST), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) (Imperatriz, MA, Brasil)
  • Floriacy Stabnow Santos Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia (CCSST), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) (Imperatriz, MA, Brasil)
  • Ismália Cassandra Costa Maia Dias Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia (CCSST), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) (Imperatriz, MA, Brasil)
  • Marcelino Santos Neto Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia (CCSST), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) (Imperatriz, MA, Brasil)
Palabras clave: Tuberculosis, Prevalencia, Incidencia, Epidemiología, Sistema de Información en Salud, Sistema de Informaci´ón de Agravios de Notificación
Key-words: Tuberculosis, Prevalence, Incidence, Epidemiology, Health Information System, Notifiable Diseases Information System
Palavras chave: Tuberculose, Prevalência, Incidência, Epidemiologia, Sistema de Informação em Saúde, Sistema de Informação de Agravos de Notificação

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

1. World Health Organization. Annual TB Report report. Geneva: WHO, 2017. Disponible en http://www.searo.who.int/tb/documents/annual_tb_repot_2017/en/ . [acesso:10/08/2018].
2. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância em Saúde.. Brasil Livre da Tuber-culose. Plano Nacional pelo fim da tuberculose como problema de saúde pública. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2017: 52p.
3. Santos VB. Análise espacial dos óbitos por tuberculose no estado do Maranhão. Dissetação (Mestrado em Saúde Coletiva) – Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Maranhão, 2018.
4. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Im-plantação do Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública no Brasil: primeiros passos rumo ao alcance das metas. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2018: 49 (11): 1-18.
5. Barros PG et al. Perfil Epidemiológico dos casos de Tuberculose Extrapulmonar em um município do estado da Paraíba, 2001–2010. Cad. Saúde Coletiva. 2014; 22(4): 343-350.
6. Vasgo DS. Distribuição espacial e carga da tuberculose no Distritro Federal no período de 2011 a 2014. 90f. Monografia (Ba-charel em Saúde Coletiva na graduação em Saúde Coletiva) - Universidade de Brasília, 2016.
7. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância em Saúde. Indicadores prioritários para o monitoramento do Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública no Brasil . Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2017b: 48(11):1-8.
8. Selig L et al. Proposta de vigilância de óbitos por tuberculose em sistemas de inform ação. Revista de Saúde Pública. 2010; 44(6):1072-1078.
9. Sousa LMO, Pinheiro RS. Óbitos e internações por tuberculose não notificados no município do Rio de Janeiro. Revista de Saúde Pública. 2011;45(1):31-39.
10. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Território e Ambiente, 2018. Disponible en https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/imperatriz/panorama. [acesso:01/09/2018].
11. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Panorama da Tuberculose no Brasil: indicadores epidemioló-gicos e operacionais. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2014: 92p.
12. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. População estimada, 2017. Disponible en https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/imperatriz/panorama. [acesso: 05/09/2018].
13. Grosch CA et al. Prevalência da Tuberculose no Maranhão. Rev. Investig, Bioméd. 2015;7:28-34.
14. Cozer AM et al. Panorama Epidemiológico da Tuberculose no Brasil. Rev. Educ. Saúde. 2016; 4(2):43-50.
15. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemioló-gico. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2016; 47 (13):1-15.
16. Barbosa DRM., Almeida MG, Martins LM. Características epidemiológicas, clínicas e espaciais de casos notificados de tuber-culose em área hiperendêmica do nordeste do Brasil. Revista de Epidemiologia e Controle Infecção. 2014; 4(3):186-191.
17. Gonçalves KAM, Silva KA, Kamimura QP, Silva JLG. Caracterização do perfil sócio-demográfico e epidemiológico de por-tadores de tuberculose. Congresso Virtual Brasileiro de Educação, gestão e promoção da saúde. 2011:1-9.
18. Daronco A et al. Distribuição espacial de casos de tuberculose em Santa Cruz do Sul, município prioritário de Estado do Rio Grande do Sul, Brasil, 2000 a 2010. Epidemiol. Serv. Saúde. 2012;.21(4):645-654.
19. Pedro AS, Oliveira RM. Tuberculose e indicadores socioeconômicos: revisão sistemática da literatura. Rev Panam Salud Pu-blica. 2013; 33(4):294-301.
20. Fusco APB et al. Distribuição espacial da tuberculose em um município do interior paulista, 2008–2013. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2017;25:e2888.
21. Medeiros CJ, Pretti CBO, Nicole AG. Características demográficas e clínicas dos casos de tuberculose notificados pelo Núcleo de Epidemiologia Hospitalar no Município de Vitória, Estado do Espírito Santo, Brasil, 2009-2010. Epidemiol Serv Saúde. 2012;21(1):159-166.
22. Viana PVS. Tuberculose no Brasil: uma análise dos dados de notificação, segundo macro-região e raça/cor, para o período 2008-2011. Dissertação de Mestrado. Fundação Osvaldo Cruz, 2014.
23. Freitas WMTM, Santos CC, Silva MM, Rocha GA. Perfil clínico-epidemiológico de pacientes portadores de tuberculose aten-didos em uma unidade municipal de saúde de Belém, Estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude. 2016; 7(2): 45-50.
24. Heck MA, Costa JS, Nunes MF. Tuberculosis treatment drop out prevalence and associated factors in Sapucaia do Sul County (RS), Brazil, 2000-2008. Rev Bras Epidemiol. 2011;14(3): 478-485.
25. Furlan MCR, Oliveira SP, Marcon SS. Fatores associados ao abandono do tratamento de tuberculose no estado do Paraná. Acta Paul Enferm. 2012;25(Número Especial 1):108-114.
26. Oliveira GP et al. Uso do sistema de informação sobre mortalidade para identificar subnotificação de casos de tuberculose no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia. 2012;15(3):468-477.
27. Pinheiro RS, Andrade VL, Oliveira GP. Subnotificação da tuberculose no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN): abandono primário de bacilíferos e captação de casos em outras fontes de informação usando linkage probabilístico. Cadernos de Saúde Pública. 2012; 28(8):1559-1568.
28. Queiroga RPF et al. Distribuição espacial da tuberculose e a relação com condições de vida na área urbana do município de Campina Grande – 2004 a 2007. Revista Brasileira de Epidemiologia. 2012; 15(1): 222-232.
29. Belo EN, Orellana JDY, Levino A, Basta, PC. Tuberculose nos municípios amazonenses da fronteira Brasil-Colômbia-Peru-Venezuela: situação epidemiológica e fatores associados ao abandono. Rev Panam Salud Publica. 2013; 34(5):321-329.
30. Orellana JDY et al. Características sociodemográficas e indicadores operacionais de controle da tuberculose entre indígenas e não indígenas. Rev Bras Epidemiol 2012; 15(4):714-24.
31. Rios DPG et al. Tuberculose em indígenas da Amazônia brasileira : estudo epidemiológico na região do Alto Rio Negro. Rev Panam Salud Publica. 2013; 33(1): 22– 29.
32. Deus RL. O enfermeiro Frente aos sistemas Nacionais de Informação de interesse em saúde para o desenvolvimento de suas atividades na atenção primária de saúde. Departamento de Enfermagem básica. Universidade Federal de Juiz de Fora, 2013.

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
da Silva, Janiel Conceição; Brito, Paula dos Santos; de Souza, Daianne Santos; Santos, Floriacy Stabnow; Dias, Ismália Cassandra Costa Maia; Neto, Marcelino Santos. Indicadores de morbilidad y caracterización epidemiológica de la tuberculosis en Imperatriz-MA, Brasil. Evidentia. 2019; 16. Disponible en: http://ciberindex.com/c/ev/e11219 [acceso: 16/12/2019]
Sección
Originales
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: