Aplicação do cuidado baseado na teoria de Orem ao paciente ostomizado

Application of care based on Orem's theory to the ostomy patient

Aplicación del cuidado basado en la teoría de Orem al paciente ostomizado

  • Francielly Anjolin Lescano Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) (Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil)
  • Tuany de Oliveira Pereira Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) (Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil)
  • Fernanda Maria Souza Juliano Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) (Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil)
  • Patrícia Rodrigues da Silva de Almeida Paz Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) (Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil)
  • Edivania Anacleto Pinheiro Simões Hospital São Julião (Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil)
Palabras clave: Atención al paciente, Autocuidado, Colostomía, Grupo de atención al paciente, Humanización de la atención
Key-words: Patient care, Self care, Colostomy, Patient care team, Humanization of assistance
Palavras chave: Assistência ao paciente, Autocuidado, Colostomia, Equipe de assistência ao paciente, Humanização da assistência

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

Amante, L.N., Rossetto, A.P. & Dulcinéia, G.S. (2009). Sistematização da Assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva sustentada pela teoria de Wanda Horta. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 1, 54-64.
Antonio, O.S. (2016). O estoma: investigação psicanalítica-existencial do sofrimento psíquico e sua modalização. (Tese de Doutorado)- Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília, Brasília. Recuperado de http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/21 754/1/2016_PrisciladaSilvaAntonio.pdf.
Antunes, R. (2002). Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. Campinas, São Paulo. Editora: Cortez.
Barbutti, R.C.S., Silva, M.C. & Abreu, M.A.L. (2008). Ostomia, uma difícil adaptação. Revista Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar. 2, 27-37.
Brasil, K.C.T.R. (2005). Corpo e sensação na clínica psicossomática: uma investigação teórico clínica exploratória dos pacientes portadores de psoríase. (Tese Doutorado em Psicologia Clínica) – Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília: Brasília.
Portaria n. 400, de 16 de novembro de 2009. Institui organização do Serviço de Atenção às Pessoas Ostomizadas no âmbito do Sistema Único de Saúde, Brasília, DF, dezembro de 2012. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sa s/2009/prt0400_16_11_2009.html.
Lei n. 13.146/2015 (Lei Ordinária) de 06 de junho de 2015. Institui a Lei brasileira de inclusão da pessoa com deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF, junho de 2015. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2 015-2018/2015/Lei/L13146.htm.
Castilho, N.C., Ribeiro, P.C. & Chirelli, M.Q. (2009). A implementação da sistematização da assistência de enfermagem no serviço de saúde hospitalar do Brasil. Revista Texto & Contexto Enfermagem. 2, 280-289.
Carvalho, A.O.R.M., Budó, M.L.D., Silva, M.M., Alberti, G.F. & Simon, B.S. (2015). “Com um pouco de cuidado a gente vai em frente”: vivências de pessoas com estomia. Revista Texto & Contexto Enfermagem., 1, 279-87. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/tce/v24n1/pt_0104 -0707-tce-24-01-00279.pdf.
Cerezetti, C.R. (2012). Orientações Psicológicas e capacidade reativa de pessoas ostomizadas e seus familiares. Revista O mundo da Saúde.,.2, 332-339. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mund o_saude/orientacoes_piscologicas_capacida de_reativa_pessoas.pdf.
Coelho, A.R., Santos, F.S. & Poggetto, M.T.D. (2013). A estomia mudando a vida: enfrentar para viver. Revista Mineira de Enfermagem., 2, 258- 267. Recuperado de http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/649.
Dell’Acqua, M.C.Q., Palhares, V.C. & Miranda, J.S. (2017). Processo de cuidar de indivíduos adultos com estomias. In Associação Brasileira de Enfermagem; Bresciani H.R, Martini J.G, Mai L.D, organizadores. PROENF Programa de Atualização em Enfermagem: Saúde do Adulto: Ciclo 11. Porto Alegre, Brasil. Editora Artmed Panamericana.
Diagnósticos de enfermagem da NANDA: definições e classificação 2015-2017. Porto Alegre, Brasil. Editora: Artmed.
Fingermann, D. (2007). O que falar quer dizer?. Revista Ide. 45, 24-27.
Hartweg, D.L. & Pickens, J. (2016). A Concept Analysis of Normalcy within Orem's SelfCare Deficit Nursing Theory. Self-Care, Dependent-Care & Nursing., 1, 4-13. Recuperado de http://journalofagingandinnovation.org/wpcontent/ uploads/6-Autocuidadoforma% C3%A7%C3%A3o.pdf
Rocha, J.J.R. (2011). Estomias intestinais- (ileostomias e colostomias) e anastomose intestinais. Medicina Ribeirão Preto. Revistas Universidade de São Paulo., 1, 51- 6. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/rmrp/article/vie w/47335/51071.
Santos, B., Ramos, A. & Fonseca, C. (2017). Da formação à prática: Importância das Teorias do Autocuidado no Processo de Enfermagem para a melhoria dos cuidados. Journal of Aging & Innovation., 1, 51-54. Recuperado de http://journalofagingandinnovation .org/wpcontent/ uploads/6-Autocuidadoforma% C3%A7%C3%A3o.pdf.
Silva, J., Sonobe, H.M., Buetto, L.S., Santos, M.G., Lima, M.S., & Sasaki, V.D.M. (2014). Estratégias de ensino para o autocuidado de estomizados intestinais. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste., 1, 166-73.
Silva, E.S., Castro, D.S., Garcia, T.R., Romero, W.G., & Primo, C.C. (2016). Tecnologia do cuidado à pessoa com colostomia: diagnósticos e intervenções de enfermagem. Revista Mineira de Enfermagem. Recuperado de doi: 10.5935/1415-2762.20160001.
Tomey, A.M., & Alligood, MR. (2004). Teóricas de enfermagem e a sua obra: Modelos e teorias de enfermagem. Portugal. Editora: Lusodidacta.
Vaz, A.I.A., Costa, R. (2015). Mulheres e as influências afetivas no adoecimento hipertensivo. Psicologia Revista., 1, 83-106. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/psicorevista/article/ view/24230/17440

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Lescano, Francielly Anjolin; Pereira, Tuany de Oliveira; Juliano, Fernanda Maria Souza; Paz, Patrícia Rodrigues da Silva de Almeida; Simões, Edivania Anacleto Pinheiro. Aplicación del cuidado basado en la teoría de Orem al paciente ostomizado. Cultura de los cuidados. 2020; (57): 295-06. Disponible en: http://ciberindex.com/c/cc/57295cc [acceso: 29/11/2020]
Sección
Teoría y métodos enfermeros
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: