Salud Mental en Atención Primaria: taller de herramientas de enfoque familiar

Mental Health in Primary Care: weaving family approach tools

Saúde Mental na Atenção Primária: tecendo ferramentas de abordagem familiar

  • Erika Vanessa Serejo Costa Universidade Estadual Vale do Acaraú (Ceará, Brasil)
  • Marta Celia Cunha Universidade Estadual Vale do Acaraú (Ceará, Brasil)
  • Marta Evelin de Carvalho Universidade Estadual Vale do Acaraú (Ceará, Brasil)
  • Jardel Alcântara Negreiros Universidade Estadual Vale do Acaraú (Ceará, Brasil)
  • Eliany Nazaré Oliveira Universidade da Estadual Vale do Acaraú (Ceará, Brasil)
  • Francisco Rosemiro Guimarães Ximenes Neto Universidade da Estadual Vale do Acaraú (Ceará, Brasil)
Palabras clave: Atención Primaria a la Salud, Salud Mental, Asistencia Integral a la Salud, Relaciones Familiares
Key-words: Primary Health Care, Mental Health, Comprehensive Health Care, Family Relations
Palavras chave: Atenção Primária à Saúde, Saúde Mental, Assistência Integral à Saúde, Relações Familiares

Resumen

Abstract

Resumo

Bibliografía

Barreto, M. (2010). A construção do genograma na terapia de casal. Florianapolis:Monografia de especialização, Familiar e Instituto Sistêmico.
Binotto, A.L., Santos, L.L., Lourosa, Q.L., Sant’Anna, S.C., Zanetti, A.C.G., Forster, A.C.
y Marques, J.M.A. (2012). Interface Saúde da Família & Saúde Mental: uma estratégia para o cuidado. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 7(23), 83-89.
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento da Atenção Básica (2013). Caderno 34 - Saúde Mental na Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde.
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento da Atenção Básica. Coordenação Geral de Atenção Domiciliar (2012). Caderno de Atenção Domiciliar. Brasília: Ministério da Saúde.
Carnut, L. y Faquim, J. (2014). Conceitos de família e a tipologia familiar: aspectos teóricos para o trabalho da equipe de saúde bucal na estratégia de saúde da família. Journal of Management & Primary Health Care, 5(1), 62-70. Recuperado de http://www.jmphc.com.br/saude-publica/index.php/jmphc/article/view/198/201
Carvalho, J.C. (2015). A família e as pessoas com experiências de doença mental. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental (14). Editorial.
Correia, V.R., Barros, S.B. y Colvero, L.A. (2011). Saúde mental na atenção básica: prática da equipe de saúde da família. Revista da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, 45(6), 1501-6. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n6/v45n6a32.pdf
Costa, F.A.O. y Marra, M.M. (2013). Famíliasbrasileiras chefiadas por mulheres pobres emonoparentalidade feminina: risco e proteção.Revista Brasileira de Psicodrama, São Paulo,21(1). Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-53932013000100011
Ditterich, R.G., Gabardo, M.C.L. y Moysés, S.J.(2009). As ferramentas de trabalho com famíliasutilizadas pelas equipes de saúde da família deCuritiba, PR. Revista Saúde e Sociedade, SãoPaulo, 18(3), 515-524.
Dutra, E.M., Vasconcelos, E.E., Teófilo, J.K. yTeófilo, L.J.S. (2012). Atenção Integral aplicadaà família: relato de experiência. SANARE:Revista de Políticas Públicas, Sobral, 11(1)1,55-59.
Menezes, A.H.R., Cardelli, A.A.M. Vieira, G.B.,Martins, J.T., Fernandes, M.V. y Marrero, T.(2012). Classificação do risco familiar segundoescala de Coelho e Savassi – um relato deexperiência. Revista Ciência, Cuidado e Saúde,11(1), 190-195.
Nascimento, K.V., Ximenes Neto, F.R.G.,Saburido, K.A.L. y Chagas, M.I.O. (2012).Aplicação do Modelo Calgary na avaliaçãofamiliar de um sujeito com hipertensão arterialsistêmica. Revista Paraninfo Digital, 16, 1-13.
Savassi, L.C.M., Lage, J.L. y Coelho, F.L.G.(2012). Sistematização de um instrumento deestratificação de risco familiar: escala de riscofamiliar Coelho-Savassi. Journal ofManagement and Primary Health Care, 3(2),179-185.
Silveira Filho, A.D., Ducci, L., Simão, M.G.,Moysés, S.J. y Gevared, S.P. (2002). Os dizeresda boca em Curitiba: boca maldita, boqueirão,bocas saudáveis. Secretaria Municipal de Saúdede Curitiba. Centro Brasileiro de Estudos deSaúde: Rio de Janeiro, 155-160. Recuperado dehttp://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/livro_curitiba.pdf
Oliveira, E.N., Eloia, S.M.C., Lima, D.S., Eloia,S.C., Felix, T.A. y Vasconcelos, M.I.O. (2014).A família no cuidado à pessoa com transtorno mental: uma revisão integrativa. Revista Tendências da Enfermagem Profissional, (6), 1196 -1202.
Santos, K.K.F., Figueiredo, C.R., Paiva, K.M., Campolina, L.R., Barbosa, A.A.D. y Santos, A.S.F. (2015). Ferramentas de abordagem familiar: uma experiência do cuidado multiprofissional no âmbito da Estratégia Saúde da Família. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, 13(2), 377-387.
Santos, M.L.V.A. (2012). Abordagem sistémica do cuidado à família: impacto no desempenho profissional do enfermeiro. Tese de doutoramento, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal.
Spagnuolo, R.S. y Guerrini, I.A. (2005). A construção de um modelo de Saúde complexo e transdisciplinar. Revista Interface - Comunicação, Saúde e Educação, Botucatu, 9(16), 191-194.
Vieira, M.R.M., Ferreira, M.A.A., Araújo, C.A.S., Vieira, M.M. y Rodrigues, C.A.Q.(2014, setembro). Genograma e Ecomapa naAbordagem Familiar: um relato de caso emfamília com estrutura frágil e idoso dependente.Resumo expandido em anais do 8º Fórum deEnsino Pesquisa Extensão e Gestão, Unimontes,Montes Claros, Minas Gerais. Recuperado dehttp://www.fepeg2014.unimontes.br/sites/default/files/resumos/arquivo_pdf_anais/genograma_e_ecomapa_na_abordagem_familiar.pdf
Yin, R. (2001, p. 26). Estudo de caso:planejamento e métodos. Trad. Daniel Grassi (2ªed). Porto Alegre: Bookman

Novedades
Estadísticas
Cómo citar
1.
Costa, Erika Vanessa Serejo; Cunha, Marta Celia; Carvalho, Marta Evelin de; Negreiros, Jardel Alcântara; Oliveira, Eliany Nazaré; Neto, Francisco Rosemiro Guimarães Ximenes. Salud Mental en Atención Primaria: taller de herramientas de enfoque familiar. Cultura De Los Cuidados. 24 de octubre de 2018; (51). Disponible en: http://ciberindex.com/c/cc/51133cc [acceso: 14/11/2018]
Sección
Antropología
Comentarios

DEJA TU COMENTARIO     VER 0 COMENTARIOS

Normas y uso de comentarios


Hay un total de 0 comentarios


INTRODUCIR NUEVO COMENTARIO

Para enviar un comentario, rellene los campos situados debajo. Recuerde que es obligatorio indicar un nombre y un email para enviar su comentario (el email no sera visible en el comentario).

Nombre:
e-mail:
Comentario: